2 eventos ao vivo
Logo do Corinthians
Foto: Daniel Augusto Jr / Agência Corinthians

Corinthians

Fagner se vê mais perto da Copa, e rebate críticos: 'Não me conhecem'

Lateral do Corinthians comentou nesta segunda a convocação para amistosos da Seleção e destacou o estilo de jogo do Timão. Ele usou números e citou Jesus contra as queixas

12 mar 2018
18h34
atualizado em 13/3/2018 às 10h33
  • separator
  • comentários

Único atleta do Corinthians convocação pelo técnico Tite para amistosos da Seleção Brasileira contra Rússia e Alemanha, o lateral-direito Fagner comemorou nesta segunda-feira a presença na lista e acredita que ficou mais próximo de realizar o sonho de disputar a Copa do Mundo de 2018.

- Importante estar nesses últimos jogos. A gente sabe que não tem nada definido. É importante estar trabalhando, ali com o pessoal, aproveitando. Tenho certeza de que fazendo um bom trabalho lá as coisas ficam mais próximas. Mas tudo caminha com o dia a dia do clube. Vou perder alguns jogos, a gente fica triste por não estar presente, mas tenho certeza de que o Mantuan vai entrar e bem como fez no fim de semana - analisou o camisa 23 do Timão em entrevista coletiva.


Fagner também precisou responder sobre os críticos. Volta e meia, o lateral precisa conviver com uma fama de violento, com entradas mais duras nos rivais. Ele rebateu e citou até Jesus Cristo.

- Quem critica às vezes não conhece o Fagner. E nem Jesus agradou a todo mundo, o Fagner não vai agradar. Vou continuar trabalhando, firme, da mesma forma - afirmou o lateral, que depois foi lembrado de possuir bons números pelo Corinthians no ano passado.

Fagner foi eleito melhor lateral-direito do Paulista e do Campeonato Brasileiro, dois títulos conquistados pelo Timão ano passado.

- Seria legal se desse pra colocar esses números. A resposta está na pergunta. Você é julgado por forma geral. Todo ano cheguei a mais de 50 jogos. Tive duas ou três expulsões. Se eu não me engano, sempre fui dos que mais roubavam bola. Infelizmente, a gente sabe que tem pessoas que não gostam de você e vão começar a falar. O mais importante é meu caráter, que está intacto - afirmou.

Por conta da convocação, o lateral não deverá jogar o segundo jogo das quartas de final do Paulista contra o Bragantino e perder as duas semifinais caso o Corinthians avance.

Confira abaixo outros trechos da entrevista coletiva de Fagner:

Convocação
Fiquei muito feliz hoje. Independentemente de qualquer notícia, meu dia já estava bom pelo aniversário do meu filho mais novo. Então, felicidade imensa hoje. A gente trabalha muito, sabe o que deseja, mas se não fosse o Corinthians, a dedicação do dia a dia, companheiros, comissão técnica, minha família, não conseguia ter voltado.

Filho Henrique está no sub-8 do Corinthians
Muito gratificante ver o quanto ele gosta, a paixão dele. Não é algo que fico forçando. Sei que ele tem condição de ir muito longe, mas vai depender só dele, esforço, dedicação. Espero que possa conquistar o mundo.

Ficou fora das duas últimas listas de Tite
Como ser humano, às vezes a gente não entende as coisas, mas busca entender. Se naquele momento o Tite achou que eu não deveria estar, é porque eu tinha de trabalhar mais no Corinthians. Foi isso que eu fiz, falei ano passado. Teria de estar bem, e graças a Deus agora veio essa gratificação. Você tem de abrir mão de coisas por resultado maior. E fico feliz de ter vindo agora.

Treino com Deportivo Lara do lado
Estamos separados por um muro, não temos como acompanhar nada. Amanhã teremos real noção de como vão jogar. Sabemos que não é time bobo, ganhou do Independiente. Temos de fazer um grande jogo para conseguir vitória importante.

Por que é convocado mesmo jogando no Brasil?

Difícil falar o que faz a diferença. Na Europa é sempre intensidade muito grande, pegado. Difícil falar porque estou indo, mas procuro estar sempre bem, isso é importante. Faz com que você esteja sempre próximo, em alto nível.

O Corinthians ajuda?
O estilo do jogo do Corinthians ajuda muito. Time que joga muito junto, compacto, tem funções definidas. Time inteiro consegue se ajudar. Se não fosse meus companheiros, talvez não teria chegado lá. Isso ajuda muito.

Convivência com Daniel Alves
Tenho de aprender muito com ele, porque é um jogador de grande história no futebol. E ao mesmo tempo estar preparado, no futebol as coisas mudam muito, e tem de estar sempre preparado.

Conversou com Cássio, que ficou fora?
Sem dúvida a chance dele ainda pode chegar. A gente já ouviu que não é a última lista, só em maio. Ele está com cabeça boa, vai continuar trabalhando, tem totais condições de estar lá. Ele vai continuar fazendo. Continuar focado, com cabeça boa, porque ele tem condições.

Satisfação se for para a Copa
Todo sonho de criança é virar jogador e um dia vestir a camisa da Seleção. E você poder disputar uma Copa do Mundo, representar seu país, muito competitivo, é algo que marca a carreira do jogador. Então espero estar.

Reencontro com Alemanha e o 7 a 1
Futebol é muito dinâmico, cada jogo é uma história. Infelizmente, 2014 não vai voltar, e daqui 10, 15 anos, não vai apagar o que aconteceu. É um fato. E de repente a Seleção se reergueu. É procurar fazer um grande jogo, porque é o mais importante, e deixar esse passado para trás.




LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade