0

Elenco se fecha para não deixar euforia contagiar o Flamengo na final

Rodrigo Caio revelou que elenco tem conversado sobre a vantagem e está preparado para repetir o bom desempenho da primeira partida, visando o título do Campeonato Carioca

18 abr 2019
06h33
atualizado às 06h33
  • separator
  • 1
  • comentários

A vantagem obtida pela vitória por 2 a 0 no Nilton Santos é grande e o elenco do Flamengo sabe disso, mas os jogadores estão fechados e preparados para manter o bom nível de atuação na segunda partida da decisão contra o Vasco, domingo, no Maracanã. A decisão de escalar titulares, valorizando o título é uma mostra do entendimento que "nada está ganho", como disse Abel Braga.

Rodrigo Caio cobrou atenção máxima dos companheiros na decisão do Carioca (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
Rodrigo Caio cobrou atenção máxima dos companheiros na decisão do Carioca (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
Foto: Lance!

Entre os atletas, a estratégia para manter a concentração na final passa pelas conversas e pelos treinos da semana, comentou o zagueiro Rodrigo Caio.

- Quando você tem uma vantagem, você pode entrar um pouco disperso. Mas é algo que estamos falando sobre a semana inteira. Temos que ter atenção. São 90 minutos que precisamos deixar tudo. Do outro lado terá uma equipe grande e que buscará o resultado a todo instante. Cada jogador está preparado para isso e não deixará que a euforia ou a vantagem interfira no nosso objetivo.

Mais do que a vantagem, a equipe de Abel também terá que controlar os ânimos para que o ambiente de empolgação no estádio não a contamine. O Maracanã receberá grande público, mais uma vez em uma partida do Fla no ano - 35 mil ingressos foram vendidos até quarta. Os rubro-negros devem ser maioria e, como de costume, exigirão uma postura ofensiva do time da Gávea.Para ser campeão no domingo, o Vasco precisa fazer o que ninguém conseguiu fazer em 2019: vencer o Flamengo por, pelo menos, dois gols de diferença. As únicas derrotas do Rubro-Negro no ano foram por 1 a 0 - diante do Fluminense, na semifinal da Taça Rio, e para o Peñarol, do Uruguai, na Copa Libertadores, ambas no Maracanã.

A defesa do time, contudo, ainda é contestada. Afinal, a equipe foi vazada em 15 das 20 partidas sob o comando de Abel Braga. Para Rodrigo Caio, titular ao lado de Léo Duarte, os gols sofridos acontecem, na maior parte das vezes, em lances de desatenção geral, mas o zagueiro não foge da responsabilidade.

- Eu, como defensor, assumo a parcela de responsabilidade, mas os gols saem pela desatenção de todo time. Em um momento que não fazemos a cobertura, ou desacreditamos que pode dar uma coisa errada. E acontece de sofrermos gol. O mais importante são as vitórias e estamos conseguindo, sendo superior aos adversários e fazendo grandes partidas. Vejo que estamos no caminho certo, trabalhando forte e tenho certeza que conseguiremos nossos objetivos.

Lance!
  • separator
  • 1
  • comentários
publicidade