PUBLICIDADE

Cruzeiro tem déficit de R$ 343 milhões em 2020 e dívida já supera a casa de R$ 1 bilhão

A Raposa divulgou seu balancete de 2020 e com o agravante da pandemia de Covid-19, o seu resultado financeiro foi negativo mais uma vez

6 jan 2021 18h57
| atualizado às 18h57
ver comentários
Publicidade

O Cruzeiro divulgou seu balancete referente ao ano de 2020. Os dados são dos meses de janeiro a setembro. O documento foi publicado no site oficial do clube e mostra um resultado negativo de R$ 343 milhões, fazendo a dívida da Raposa superar a casa de R$ 1 bilhão.

As contas do Cruzeiro não fecharam no vermelho em 2020, gerando mais um prejuízo financeiro ao clube-(Reprodução / Cruzeiro)
As contas do Cruzeiro não fecharam no vermelho em 2020, gerando mais um prejuízo financeiro ao clube-(Reprodução / Cruzeiro)
Foto: Lance!

O balancete foi assinado pelo presidente Sérgio Santos Rodrigues e pelo diretor de controladoria e finanças, Matheus Rocha. A publicação mostra detalhes do que o Cruzeiro conseguiu no período, além dos efeitos do déficit gerado. O documento mostra como o valor de R$ 343 milhões negativos nos cofres surgiram. Veja abaixo os detalhes:

-R$ 111 milhões como provisões para contingências;

-R$ 52 milhões como variação cambial negativa, por conta dos passivos em moeda estrangeira e a desvalorização do real no período;

-R$ 43 milhões de custo líquido de liberação de atletas;

-R$ 18 milhões de custo de amortização atletas profissionais;

-R$ 11 milhões com atualização de parcelamentos;

-R$ 11 milhões de custo de acordos/indenizações de processos judiciais;

-R$ 15 milhões de impairment de atletas (deterioração na tradução literal)

As receitas do clube caíram em R$ 153 milhões no ano 2020, se comparado ao mesmo período de 2019, sendo que a perda de dinheiro com direitos de TV foi bem sorte, caindo de R$ 77 milhões para R$ 22 milhões.

Houve uma melhora na arrecadação com patrocínios, saltando de R$ 18 milhões para R$ 22 milhões. Outras receitas conquistadas se referem ao programa de sócio-torcedor, que rendeu R$ 5 milhões ao clube, e outros R4 940 mil com a Operação Fifa, doações feitas pelos torcedores para quitar débitos na entidade máxima do futebol.

-Em nove meses do ano 2020, houve três efeitos principais que impactaram diretamente na performance econômica do clube. Efeito reflexo da má gestão conduzida durante os anos 2018-2019; efeitos da pandemia e redução das receitas de publicidade e televisão- explicou o Cruzeiro no documento.

A Raposa ainda destacou que está trabalhando para melhorar sua saúde financeira após a gestão Wagner Pires de Sá, que deixou as contas do clube em estado calamitoso.

-O Cruzeiro está trabalhando para melhorar os índices de liquidez, reduzindo o passivo circulante e alongando dívidas. Observa-se redução em R$ 11,1 milhões do passivo circulante em comparação a 31/12/2019, em contrapartida aumento no passivo não circulante-completou a explicação.

Lance!
Publicidade
Publicidade