PUBLICIDADE

Tóquio: Presidente do COI diz entender estado de emergência

Thomas Bach afirmou estar comprometido a realizar uma Olimpíada segura e bem-sucedida

28 abr 2021 10h18
| atualizado às 10h35
ver comentários
Publicidade

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), disse nesta quarta-feira, 28, que entende totalmente a decisão de declarar um estado de emergência em Tóquio para combater a pandemia de coronavírus e que está comprometido a realizar uma Olimpíada segura e bem-sucedida.

Presidente do COI, Thomas Bach, visita Estádio Nacional em Tóquio
17/11/2020 Behrouz Mehri/Pool via REUTERS
Presidente do COI, Thomas Bach, visita Estádio Nacional em Tóquio 17/11/2020 Behrouz Mehri/Pool via REUTERS
Foto: Reuters

Bach falava no início de uma reunião com os organizadores da Tóquio-2020 para finalizar a segunda edição dos "manuais" de regras dos Jogos de Verão a menos de três meses do evento e no momento em que o Japão enfrenta uma disparada de casos de coronavírus.

Partes do país, inclusive a capital, foram sujeitas a mais um estado de emergência no final de semana, e a maior parte do público japonês acha que a Olimpíada, adiada em 2020 por causa da pandemia, deveria ser cancelada ou remarcada novamente.

A emergência, que deve durar até 11 de maio, exige que restaurantes e bares que servem álcool fechem, assim como lojas grandes, cinemas e outros pontos comerciais, pede que empresas deixem os funcionários trabalharem em casa e exclui espectadores de grandes eventos esportivos.

Na videoconferência, Bach disse aos organizadores, incluindo a presidente da Tóquio-2020, Seiko Hashimoto, que entendeu a medida e que a obediência dos manuais, que delineiam uma série de medidas anti-infecção, será cumprida com rigor.

Os espectadores estrangeiros já foram excluídos, mas mais de 10 mil atletas, treinadores e suas equipes são esperados para o evento de 23 de julho a 8 de agosto.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade