PUBLICIDADE

Monteiro vai encarar alemão e pode pegar Djokovic em Tóquio

Tenista brasileiro estreará contra Jan-Lennard Struff e, se vencer, tem enorme chance de enfrentar o líder do ranking mundial na Olimpíada

22 jul 2021 02h34
| atualizado às 02h53
ver comentários
Publicidade

A disputa do tênis masculino de simples nos Jogos Olímpicos de Tóquio vai ser bastante desafiadora para os atletas brasileiros, que terão adversários complicados pela frente logo na estreia, conforme definido em sorteio realizado nesta quinta-feira. Tenista número 1 do Brasil e atual 95º do ranking, Thiago Monteiro encara o alemão Jan-Lennard Struff (48º do mundo) e, se avançar, enfrenta o vencedor do duelo entre o líder da ATP, o sérvio Novak Djokovic, e o boliviano Hugo Dellien.

Thiago Monteiro tem Novak Djokovic na rota de sua chave em Tóquio REUTERS/Paul Childs
Thiago Monteiro tem Novak Djokovic na rota de sua chave em Tóquio REUTERS/Paul Childs
Foto: Paul Childs / REUTERS

Já João Menezes, campeão Pan-Americano em 2019 e 217º do mundo, terá pela frente o croata Marin Cilic, que já figurou entre os cinco melhores do ranking e tem um título de Grand Slam no currículo. Em baixa, é o 36º tenista do mundo atualmente. Caso consiga bater o adversário renomado, o brasileiro pega o espanhol Pablo Carreño Busta ou o norte-americano Tennys Sandgren na sequência. Atual 11º da ATP, o tenista da Espanha é o cabeça de chave número 6 em Tóquio.

Assim como no torneio de simples, o sorteio trouxe partidas complicadas para as duplas brasileiras. A estreia de Marcelo Melo e Marcelo Demoliner será contra os croatas Mate Pavic e Nikola Mektic, líderes do ranking de duplas, com oito títulos na temporada. Os dois brasileiros se juntaram em uma parceria forçada pela desistência de Bruno Soares, que jogaria ao lado de Melo, mas foi diagnosticado com apendicite quando já estava em Tóquio.

Na chave de duplas femininas, Luisa Stefani e Laura Pigossi jogam contra as canadenses Gabriela Dabrowski e Sharon Fichman, em um duelo que vai colocar duas boas amigas frente a frente. Após os Jogos, Stefani formará dupla com Dabrowski, assim como no fim do ano passado, quando as duas foram vice-campeãs do WTA 500 de Ostrava.

A disputa individual feminina não tem representantes brasileiras. A vice-líder do ranking mundial Naomi Osaka, sem jogar desde a desistência no intervalo da segunda rodada de Roland Garros, em junho, voltará às quadras contra a chinesa Saisai Zheng. Enquanto isso, a australiana Ashleigh Barty, número 1 do mundo, estreia contra a espanhola Sara Sorribes Tormo.

 

Estadão
Publicidade
Publicidade