PUBLICIDADE

Thiago Monteiro encara canadense na estreia em Wimbledon

Brasileiro terá pela frente Felix Auger-Aliassime, cabeça de chave 16 do torneio

25 jun 2021 10h15
| atualizado às 12h57
ver comentários
Publicidade

O tenista brasileiro Thiago Monteiro deverá ter um difícil retorno às quadras de grama de Wimbledon, Grand Slam em Londres, que começará nesta segunda-feira. Nesta sexta, o número 1 do Brasil e 81 do mundo não deu sorte na formação da chave de simples e foi sorteado para enfrentar o canadense Felix Auger-Aliassime, cabeça de chave 16 logo de cara.

Thiago Monteiro vai jogar em Wimbledon pela terceira vez
Thiago Monteiro vai jogar em Wimbledon pela terceira vez
Foto: Thiago Monteiro/Facebook / Estadão Conteúdo

Os dois também se cruzaram na primeira rodada do US Open, em Nova York, no ano passado, e Thiago Monteiro fez então uma ótima partida e chegou a vencer um set ao longo de um duelo de três tie-breaks. O placar em favor de Felix Auger-Aliassime foi de 3 a 1, com parciais de 6/3, 6/7, 7/6 e 7/6.

A dificuldade do tenista brasileiro no entanto será o fato de não ter feito qualquer preparatório para Wimbledon, enquanto que o canadense chegou à final do ATP 250 de Stuttgart, na Alemanha, onde só perdeu para o croata Marin Cilic, e fez semi no ATP 500 de Halle, também em solo alemão, na semana anterior, depois de eliminar o suíço Roger Federer.

Caso surpreenda Felix Auger-Aliassime, Thiago Monteiro poderá então enfrentar o veterano francês Jo-Wilfried Tsonga, que começa diante do sueco Mikael Ymer. Nesse quadrante está ainda o canhoto francês Ugo Humbert, inesperado campeão em Halle, que faz a sua primeira partida contra o australiano Nick Kyrgios.

O número 1 do Brasil disputará Wimbledon pela terceira vez. Entrou diretamente na chave em 2017 e passou uma rodada, caiu logo na estreia do qualifying na temporada seguinte e furou o classificatório em 2019 antes de disputar três sets diante do japonês Kei Nishikori, então 7º do mundo, na estreia.

Federer

Se em Roland Garros, em Paris, Roger Federer caiu no mesmo lado de Novak Djokovic e de Rafael Nadal, em Wimbledon a situação é bem diferente. O espanhol sequer foi para o torneio em Londres e o sérvio, atual número 1 do mundo, caiu no outro lado da chave, deixando o veterano suíço como o único representante do "Big 3" na parte de baixo dela.

A estreia de Federer será contra o francês Andrian Mannarino, contra quem já jogou seis vezes e venceu todas, duas delas na grama do All England Club, nas quais o suíço passou sem sustos em sets diretos. O ex-número 1 do mundo perdeu apenas um dos 16 games que disputou contra seu primeiro oponente em Wimbledon.

Roger Federer vai estar em quadra em Wimbledon 05/06/2021 Susan Mullane-USA TODAY Sports
Roger Federer vai estar em quadra em Wimbledon 05/06/2021 Susan Mullane-USA TODAY Sports
Foto: Reuters

Embora esteja em um momento de dúvidas sobre o que pode fazer na competição, o suíço teve um sorteio interessante e seu maior obstáculo para chegar às oitavas é o local Cameron Norrie, cabeça de chave 29. Mesmo nesta fase o espanhol Pablo Carreño Busta e o italiano Lorenzo Sonego parecem não ser ainda um enorme desafio para Federer.

Só mesmo se chegar nas quartas é que o suíço terá trabalho, podendo então encarar o russo Daniil Medvedev, segundo pré-classificado, que tem uma estreia complicada contra o alemão Jan-Lennard Struff. O número 2 do mundo ainda pode cruzar com o jovem espanhol Carlos Alcaraz na segunda rodada, com o croata Marin Cilic na terceira e com o búlgaro Grigor Dimitrov nas oitavas.

O caminho parece também muito promissor para que Novak Djokovic atinja as rodadas decisivas de Wimbledon, o torneio em que é o atual campeão, já que ganhou o histórico título em 2019 e a competição acabou não sendo disputada na última temporada devido à pandemia do novo coronavírus.

O campeão do Aberto da Austrália e de Roland Garros terá curiosa estreia diante do convidado britânico Jack Draper, canhoto de 19 anos que foi uma surpresa em Queen´s na semana passada. Caso mantenha o amplo favoritismo, Djokovic pode reencontrar Kevin Anderson em seguida - já ganhou do sul-africano três vezes em Wimbledon, incluindo virada de dois sets atrás em 2015 - e chegar no espanhol Alejandro Davidovich Fokina, cabeça 30. O duelo de oitavas indica o francês Gael Monfils ou o chileno Cristian Garin e as quartas têm o russo Andrey Rublev, finalista em Queen's no domingo, como principal candidato.

O grego Stefanos Tsitsipas ficou nesse lado superior da chave e assim a recente final de Roland Garros poderá se repetir na semi. Cabeça 3, seu maior resultado na grama de Wimbledon foram as oitavas de 2019. Seu primeiro adversário será o americano Frances Tiafoe e em seguida quem passar do canadense Vasek Pospisil e do espanhol Roberto Carballes Baena.

O bicampeão Andy Murray, que precisou de convite para entrar na chave principal, estreia contra o georgiano e cabeça 24 Nikoloz Basilashvili e, se vencer, pegará então um tenista vindo do qualifying. O canadense Denis Shapovalov e o francês Pierre Herbert são os nomes fortes desse quadrante. A vaga nas quartas inclui ainda o experiente Roberto Bautista Agut e o gigante americano Reilly Opelka.

Estadão
Publicidade
Publicidade