0

Sem 5 titulares, Portugal fica no zero com Grécia em casa

31 mai 2014
17h28
atualizado às 20h02
  • separator
  • comentários

Poupando os titulares mais importantes, como Cristiano Ronaldo, Pepe, Fábio Coentrão e João Moutinho, Portugal encarou neste sábado a Grécia em amistoso preparatório para a Copa do Mundo do Brasil. Em uma reedição da decisão da Eurocopa 2004, os portugueses bem que tentaram, mas não conseguiram sair do 0 a 0 no Estádio Nacional de Oieras em um confronto dominado pelos anfitriões.

<p>Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão, Pepe, João Moutinho e Raul Meireles foram poupados</p>
Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão, Pepe, João Moutinho e Raul Meireles foram poupados
Foto: EFE

Na próxima semana, a equipe treinada por Paulo Bento viaja aos Estados Unidos, onde enfrentará México e Irlanda nos dias 6 e 10 de junho, respectivamente, antes de desembarcar ao Brasil para a estreia no Grupo G do Mundial contra a Alemanha, no próximo dia 14, em Salvador.

Os gregos também atravessarão o Atlântico para terras americanas, onde confrontarão Nigéria e Bolívia nos dias 3 e 6. No Brasil, a equipe treinada por Fernando Santos debuta no dia 14, contra a Colômbia, em Belo Horizonte, em jogo do Grupo C.

Mesmo sem seu principal jogador, Portugal teve um início melhor contra os gregos, apostando em investidas pela lateral direita com João Pereira para levar perigo ao gol de Karnezis. As primeiras chances dos lusos vieram em cobranças consecutivas de escanteio feitas por Miguel Veloso, mas pararam nas mãos do arqueiro adversário.

Experimentando o africano Eder na referência do ataque, os portugueses sentiram falta de um finalizador nato como Cristiano Ronaldo. Mesmo sem ele, porém, a equipe treinada por Paulo Bento controlou a etapa inicial, marcando os rivais desde o campo de ataque e não sofrendo pressão dos gregos, que pouco chutaram a gol e mandaram longe quando o fizeram.

No retorno dos vestiários, Portugal manteve o domínio do confronto, mas continuou mostrando dificuldades para articular jogadas que levassem perigo real à meta de Karnezis, mesmo com a entrada do centroavante Hugo Almeida. Poupando os principais armadores, o técnico da seleção portuguesa deu oportunidade a atletas pouco testados no meio-campo, que deram solidez defensiva ao setor, mas não mostraram criatividade no ataque.

A Grécia cresceu nos minutos finais do amistoso, exigindo defesas do goleiro Beto, que substituiu Eduardo no intervalo. Especialmente em escanteios, os comandados do português Fernando Santos ficaram próximos de marcar o gol da vitória na partida preparatória.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade