0

Neymar pede para não ser mais capitão da Seleção após ouro

20 ago 2016
21h51
atualizado às 22h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O atacante Neymar aproveitou a euforia da conquista do primeiro ouro olímpico do futebol masculino brasileiro para mandar um recado ao técnico Tite, novo comandante do Brasil. Eleito como capitão por Dunga em seus últimos jogos e também por Rogério Micale para o torneio dos Jogos do Rio de Janeiro, ele avisou o novo chefe que não quer mais ser o dono da faixa na Seleção.

Neymar foi o capitão da Seleção olímpica na vitoriosa campanha na Rio 2016
Neymar foi o capitão da Seleção olímpica na vitoriosa campanha na Rio 2016
Foto: Getty Images

"É uma coisa que eu já conversei com a minha família, a partir de hoje eu não quero mais ser capitão da Seleção Brasileira. É uma mensagem até para o nosso novo treinador, o Tite, que eu não quero mais", disse o jogador, em entrevista ao SporTV, já com a medalha de ouro no peito.

Ele começou a ostentar essa condição após o fiasco na Copa do Mundo de 2014, quando o então dono da faixa, Thiago Silva, chorou antes da disputa de pênaltis contra o Chile e foi bastante criticado. Ausente em ocasiões importantes, como as derrotas nas Copas Américas de 2015 e 2016, edição do Centenário, Neymar se incomodou bastante com as más avaliações sobre seu modo de agir. Agora campeão olímpico, resolveu abrir mão da condição.

"Eu conversava, porque no começo de tudo a gente sabia da importância que era esse ouro. Sabia que além de companheiro eu era um ídolo para os garotos, então no começo todos me olhavam de uma forma diferente, mas no final a gente acabou virando amigo. Eu aprendi mais com eles do que eles comigo", completou o jogador do Barcelona, bastante elogiado pelos jovens da equipe campeã.

"Eu acho que ele tinha uma grande responsabilidade como capitão e ele cumpriu. Quando sofremos críticas ele fechou o grupo e conversou com todos, ficamos unidos e tranquilos. Passou tranquilidade e é importante ter o Neymar como capitão. Tenho certeza que vão querer colocar ele como capitão, ele é um líder dentro e fora de campo", avaliou o lateral direito Zeca, contente com a postura adotada pelo camisa 10.

Agora, cabe a Tite definir quem será o escolhido para ser o capitão neste início de trabalho, uma obrigação a mais para o treinador, que pega a equipe fora da zona de classificação para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Sua primeira convocação e oportunidade para falar disso será nesta segunda-feira, na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), às 11h (de Brasília).

A lista valerá para os confrontos contra Equador, duelo que marcará a estreia do treinador, em Quito, e Colômbia, em Manaus, que ocorrem nos dias 1º e 6 de setembro, respectivamente. O Brasil se encontra na sexta colocação nas Eliminatórias e precisa reagir em busca da classificação para a Copa da Rússia.

 

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade