PUBLICIDADE

Futebol feminino

Lula se reúne com comitiva da Fifa e reafirma apoio à candidatura para Copa do Mundo feminina

Representantes da entidade máxima do futebol estão no País para realização de inspeções

21 fev 2024 - 22h42
(atualizado às 22h42)
Compartilhar
Exibir comentários

Uma comitiva da Fifa se reuniu, nesta quarta-feira, no Palácio do Planalto, em Brasília, com o presidente Lula, e o governo brasileiro reafirmou o apoio à candidatura do País para ser sede da Copa do Mundo Feminina de 2027. Os enviados da entidade máxima do futebol mundial estão no Brasil para realizar inspeções e avaliar se há condições de sediar o evento, procedimento adotado com todas as nações candidatas.

"Tenho certeza que nosso país, por sua tradição no futebol e pela estrutura de estádios já construídos, tem plena capacidade de receber esse evento, num momento de ascensão do futebol feminino no Brasil e no mundo. Será um momento de grande visibilidade para estimular o futebol feminino", afirmou Lula.

O encontro contou com a presença das integrantes do comitê brasileiro de candidatura e de Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, além de Ricardo Lima, presidente da Federação Baiana de Futebol. O ministro do Esporte, André Fufuca, e o secretário-geral da CBF, Alcino Reias, eram outros nomes presentes na reunião. "Esse apoio do Governo Federal é muito importante para realizarmos em 2027 a melhor Copa do Mundo Feminina Fifa da história", disse Ednaldo.

O Rio de Janeiro foi a primeira escala dos delegados da Fifa na análise das instalações no País. A comitiva da Fifa é liderada pela neozelandesa Sarai Bareman, diretora-chefe de futebol feminino, e conta com mais dez delegados. Nesta quinta-feira, a visita será em Salvador. A série de inspeções termina na sexta-feira no Recife.

"Tivemos o diálogo hoje para demonstrar o total interesse do Brasil de poder mais uma vez capitanear mais uma Copa do Mundo, desta vez, feminina. Temos a total certeza de que será uma mola propulsora do crescimento do esporte feminino no Brasil", afirmou André Fufuca. "Temos, pode se dizer, uma Copa pronta, não precisaremos construir novos estádios, temos logística, estrutura turística, de hotéis, enfim, somos um país para receber esse evento", acrescentou o ministro.

Outras duas candidaturas conjuntas (Estados Unidos/México e Bélgica/Alemanha/ Holanda) também querem ser sede do evento. A Fifa vai anunciar o vencedor no dia 17 de maio, na Tailândia.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade