PUBLICIDADE

Eleição da Fifa tem protesto e invasão pró-Palestina

29 mai 2015 - 06h50
(atualizado às 14h12)
Ver comentários
Publicidade

Em meio a escândalo de corrupção, o 65º Congresso da Fifa teve início nesta sexta-feira com manifestações do lado de fora do teatro em que o evento é realizado, em Zurique, na Suíça. Os atos foram contra as condições de trabalho nas obras para a Copa do Mundo no Catar e também em prol dos palestinos, que pediam a suspensão da seleção de Israel.

Uma simpatizante da Palestina chegou a invadir o local em que o Congresso é realizado, dizendo que a Fifa merece receber o cartão vermelho. O presidente da entidade, Joseph Blatter, que concorre à reeleição nesta reunião, pediu para que os seguranças a retirassem. 

Protestos em Zurique ironizaram e pediram saída de Blatter
Protestos em Zurique ironizaram e pediram saída de Blatter
Foto: Michael Buholzer / AFP

A Associação de Futebol Palestina pedia uma votação sobre a suspensão da Associação de Futebol de Israel. O motivo? Israel não quer tirar de sua liga as cinco equipes das colônias judias nos territórios palestinos ocupados. 

A federação da Palestina, contudo, retirou o pedido de suspensão algumas horas depois. Isto porque o Congresso da Fifa aprovou, em votação, a criação de um mecanismo que garantirá que Israel não colocará obstáculos ao futebol palestino e que analisará a participação de equipes de colônias judaicas no futebol do país.

 

Do lado de fora, o evento continuou sendo alvo de contestação, inclusive com faixas de pessoas que se agruparam em frente ao local. No ano passado, antes da Copa do Mundo, o Congresso da Fifa em São Paulo também teve manifestação pró-Palestina em frente ao evento.

Manifestantes pró-Palestina fizeram barulho em Zurique
Manifestantes pró-Palestina fizeram barulho em Zurique
Foto: Ennio Leanza / EFE
Eleição da Fifa teve protesto de manifestantes pró-Palestina em Zurique
Eleição da Fifa teve protesto de manifestantes pró-Palestina em Zurique
Foto: Michael Buholzer / AFP

Já a manifestação deste ano tem como alvo também as condições dos trabalhadores no Catar, onde será realizado o Mundial de 2022. Os protestos acontecem em um momento de tensão para a Fifa, que se vê envolta a um escândalo de corrupção, inclusive com sete dirigentes detidos na Suíça, entre eles o ex-presidente da CBF, José Maria Marin.

Discurso de Blatter

O presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, pediu nesta sexta-feira que as associações nacionais de futebol "cerrem fileiras" nestes tempos difíceis vividos pela organização devido aos escândalos de corrupção envolvendo membros da cúpula da entidade, como ex-presidente da CBF José Maria Marin.

"Os eventos dessa semana causaram uma tempestade. Há uma sombra sobre o futebol e sobre esse Congresso por causa dos eventos que ocorreram. Não podemos deixar que a reputação da Fifa seja jogada na lama. Eu falei sobre mudanças, devemos cerrar fileiras e seguir em frente", disse Blatter aos delegados durante a apresentação do relatório de seu mandato, que termina hoje.

Joseph Blatter discursa durante o 65º Congresso da Fifa
Joseph Blatter discursa durante o 65º Congresso da Fifa
Foto: Mike Hewitt / Getty Images

Blatter se referiu diretamente aos casos de corrupção que afetam a Fifa, revelados dois dias antes do Congresso anual, e explicou que modificou seu relatório para levar em conta estes últimos acontecimentos, aos quais, indiretamente, dedicou praticamente todo seu discurso.

Sobre essa questão, o dirigente reiterou o que já havia dito anteriormente: "Aceito que o presidente da Fifa é o responsável de tudo. Quero compartilhar esta responsabilidade com vocês ou, pelo menos, com o Comitê Executivo, mas não podemos controlar permanentemente todos os que estão no futebol. Os culpados são indivíduos e não o conjunto da organização", enfatizou.

Joseph Blatter (centro) disputa presidência da Fifa com Ali Bin-Hussein (esquerda)
Joseph Blatter (centro) disputa presidência da Fifa com Ali Bin-Hussein (esquerda)
Foto: Fabrice Coffrini / AFP
Foto: AFP

Com informações da Agência Efe

 
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade