PUBLICIDADE

Copa Feminina

Espanha vence Suécia e é a primeira finalista da Copa do Mundo Feminina

Os gols saíram na reta final do segundo tempo no estádio Eden Park, na Nova Zelândia

15 ago 2023 - 06h56
(atualizado às 08h20)
Compartilhar
Exibir comentários
Jogadoras espanholas comemoram
Jogadoras espanholas comemoram
Foto: Hannah Mckay / Reuters

A Espanha está na final da Copa do Mundo Feminina. Com gols de Paraluello e Carmona, as espanholas venceram as suecas por 2 a 1 nesta terça-feira 15, em Auckland, com um final de jogo eletrizante, e vão disputar sua primeira final de Mundial. Blomqvist marcou para as adversárias, que se despedem mais uma vez na semfinal do torneio.

O jogo

A primeira boa oportunidade aconteceu aos 10 minutos, com a chegada da Espanha em uma bola cruzada dentro da área. Redondo cabeceou e a Suécia afastou. Hermoso ainda tentou pegar o rebote, mas a defesa adversária conseguiu afastar.

Aos 13, Olga Carmona arriscou um chute firme de fora da área, assustando as jogadoras suecas.

A resposta das adversárias surgiu na sequência, com um cruzamento de Rubensson. Kaneryd tentou o cabeceio, mas o impedimento foi marcado.

Bonati recebeu uma bola pela direita aos 20 minutos, e cruzou para dentro da área. Hermoso subiu para o cabeceio e bola foi nas mãos de Musovic.

Marcando alto, as espanholas ficavam mais com a bola e as adversárias esperavam para puxar o contra-ataque, com poucas oportunidades ofensivas.

Na pressão das espanholas que mantinham a posse, aos 34 minutos Alexia Putellas pegou um rebote de uma falta que foi cobrada na esquerda, limpou da marcadora e finalizou firma para o desvio da defesa das rivais.

A Suécia encontrava dificuldade para sair e buscava espaços pelas pontas, no pouco tempo que ficava com a posse. Asllani pisou na área e tentou finalizar, mas a bola foi direto para a linha de fundo.

A primeira oportunidade de gol da Suécia surgiu aos 41 minutos, com uma bola cruzada pelo alto. Rolfö recebeu livre de marcação dentro da área e finalizou no seu lado esquerdo, para a grande defesa de Coll. Foi a melhor chance de todo o primeiro tempo.

A pressão sueca seguiu por dois escanteios seguidos, mas a defesa adversária impediu a finalização das bolas que foram alçadas para dentro da área.

As equipes não mexeram no intervalo e logo no primeiro minuto do segundo tempo, Asllani cobrou uma falta cruzada para a área. Putellas subiu e afastou o perigo.

A Suécia voltou mais ligada e tentou utilizar suas bolas aéreas para levar vantagem perante as adversárias.O time levava vantagem na estatura, mas não conseguia utilizar a arma.

Após um escanteio cobrado aos 6 minutos, a goleira Cata Coll saltou para afastar com um soco na pequena área. Eriksson tentou dividir, mas a arbitra Edina Alves marcou falta de ataque.

Aos 11 minutos, Vilda tirou Putellas e colocou Paralluelo em sua vaga. A melhor do mundo teve atuação discreta no jogo. 

Logo na sua primeira jogada, a camisa 18 criou uma oportunidade pelo lado esquerdo, mas a defesa sueca interceptou o lance.

Tentando recuperar a posse, as espanholas respondiam pelas pontas e aos 15 minutos, Redondo tabelou com Aitana pela esquerda, mas ao pisar na área, Rubensson fez o desarme.

A chuva chegou ao estádio Eden Park e o gramado ficou escorregadio, deixando o jogo mais corrido.

Abelleira sofreu falta na entrada da grande área feita por Rolfö aos 22 minutos. Na cobrança, a bola de Caldentey bateu na barreira.

Com um contra-ataque veloz pelo lado esquerdo, Hermoso cruzou a bola para dentro da área. Redondo tentou a finalização e caiu, na sequência, Paralluelo recuperou a bola para não sair em linha de fundo, e mesmo caída, Redondo chutou, acertando a rede pelo lado de fora.

Na segunda substituição espanhola, Eva Navarro apareceu no lugar da atacante Redondo.

As primeiras substituições da Suécia chegaram aos 31 minutos. Schough entrou no meio de campo no lugar de Kaneryd. Blackstenius deu lugar no ataque para Blomqvist.

Foi dos pés de Paralluelo o primeiro gol espanhol no jogo. A atacante de 19 anos recebeu um cruzamento do lado esquerdo criado por Hermoso, Andersson não conseguiu tirar e a camisa 18 finalizou rasteiro dentro da área para fazer o 1 a 0, aos 41 minutos. O estádio veio abaixo!

O lance chegou a ser analisado pelo VAR, mas foi validado pela arbitragem.

Peter Gerhardsson mexeu novamente no time com Rubensson saindo para a chegada de Hurtig no meio de campo.

A Espanha ainda comemorava o gol e logo aos 42 minutos, a Suécia chegou ao gol de empate. Depois de um arremesso lateral com cruzamento para dentro da área, Hurtig desviou, e Blomqvist chapou no pé com segurança para fazer o 1 a 1.

O jogo passou a ferver na reta final. Aos 44 minutos, Abelleira cobrou um escanteio rasteiro e Olga Carmona finalizou sem chance de defesa para a goleira Musovic. Espanha na frente de novo. 2 a 1.

Edina Alves assinalou sete minutos de acréscimos.

Ainda deu tempo novas mexidas do técnico Jorge Vilda para segurar o jogo. Esther González entrou na posição da atacante Caldentey, que deixou o campo apaludida pelo público presente. 

O jogo ficou corrido pelo lado sueco que se jogou para o ataque explorando sua principal arma ofensiva, com as bolas chuveiradas na aérea. 

As espanholas se seguraram bem e o jogo terminou aos 52 minutos, para a alegria da torcida espanhola presente no Eden Park.

Com a vitória por 2 a 1, a Espanha está na final da Copa do Mundo Feminina e vai para uma final inédita contra Austrália ou Inglaterra, que se enfrentam nesta quarta-feira.

Fica técnica

Espanha:

Cata Coll, Batle, Paredes, Codina e Carmona; Abelleira, Putellas (Paralluelo) e Bonmatí; Redondo (Eva Navarro), Caldentey (Esther González) e Jenni Hermoso. Técnico: Jorge Vilda

Suécia:

Musovic, Björn, Ilestedt, Eriksson eJonna Andersson; Rubensson( Hurtig), Angeldahl, Kaneryd (Schough), Asllani e Rolfö; Blackstenius (Blomqvist). Técnico: Peter Gerhardsson

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade