PUBLICIDADE

Terra na Copa

Jogadores da Costa Rica viram celebridades após Copa

13 jul 2014 - 06h44
(atualizado às 08h05)
Compartilhar
Exibir comentários
<p>Costa Rica foi bem além de onde imaginava, e fez a alegria de seus torcedores</p>
Costa Rica foi bem além de onde imaginava, e fez a alegria de seus torcedores
Foto: Claudio Villa/Getty Images

Caminhar tranquilamente por qualquer rua da Costa Rica se tornou coisa do passado para os jogadores da seleção de futebol do país devido à brilhante campanha na Copa do Mundo, que elevou os integrantes do elenco ao nível de celebridades.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

A recepção que os jogadores tiveram foi marcante. Centenas de milhares de pessoas lotaram as ruas da capital San José para privilegiar os novos herois do pequeno país centro-americano.

O motivo é simples. Ninguém apostava que a equipe chegaria às quartas de final do torneio, principalmente porque os costarriquenhos estavam no chamado "grupo da morte" do torneio, ao lado de Itália, Inglaterra e Uruguai, todas campeãs mundiais.

Um dos mais queridos da torcida é o meia Celso Borges, que defende o AIK, da Suécia. Nos últimos dias, o jogador ganhou fama com o público feminino, fenômeno batizado pela imprensa local como "A Celsomania".

Durante a recepção da equipe, Borges tomou o microfone e demonstrou que, além de qualidade futebolística, também tem talento para ser animador de torcida quando apresentou um por um dos companheiros de equipe.

Durante a Copa, Borges surpreendeu muitos ao responder perguntas em três idiomas e, inclusive, mostrou um lado sensível ao chorar em uma entrevista após vencer a Grécia em disputa de pênaltis nas oitavas de final.

Nas redes sociais, o meia recebeu centenas de elogios e também se tornou alvo de "memes". Uma menina chegou a publicar na internet uma lista de motivos para se casar com o jogador.

Borges também seria recebido com festa em Tibás, onde nasceu, ao norte de San José, mas o evento teve que ser cancelado, pois o jogador precisava retornar à Suécia para se reintegrar ao clube.

"Foi uma loucura. Acho que nunca em minha vida vou viver algo assim", declarou Borges à imprensa sueca sobre a recepção calorosa que a torcida proporcionou à equipe.

A seleção da Costa Rica foi recepcionada por uma multidão nesta terça-feira ao retornar ao país, após a participação na Copa do Mundo; a Costa Rica conquistou resultado inédito ao jogar as quartas de final, quando foi eliminada, no sábado, após perder para a Holanda, nos penâltis. Na foto, torcedores vibram com a passagem dos jogadores
A seleção da Costa Rica foi recepcionada por uma multidão nesta terça-feira ao retornar ao país, após a participação na Copa do Mundo; a Costa Rica conquistou resultado inédito ao jogar as quartas de final, quando foi eliminada, no sábado, após perder para a Holanda, nos penâltis. Na foto, torcedores vibram com a passagem dos jogadores
Foto: JUAN CARLOS ULATE / Reuters

A fama também alcançou Joel Campbell. O atacante do Arsenal, ao lado dos defensores Roy Miller e Giancarlo González, teve que ser escoltado pela polícia para sair de uma homenagem na quinta-feira, em um parque da cidade de Desamparados.

Uma multidão de torcedores se empurrava para conseguir um autógrafo ou uma foto dos que, há pouco tempo, eram seus vizinhos, o que obrigou a polícia a acompanhar os jogadores para que saíssem do local.

Um dia antes, Campbell e outros companheiros tiveram que sair às pressas de uma loja de artigos esportivos que organizou um evento para a assinatura de autógrafos que parecia eterna diante das centenas de torcedores presentes.

Destaque da seleção costarriquenha, o goleiro Keylor Navas, os atacantes Bryan Ruiz e Randall Brenes e o lateral-direito Cristian Gamboa também foram recebidos com homenagens.

O município de Pérez Zeledón renomeou o estádio local como Keylor Navas Gamboa, em homenagem ao goleiro que lá nasceu e que foi indicado ao prêmio Luva de Ouro da Copa do Mundo.

O mesmo foi decidido pela prefeitura de Santa Ana, a 10km de San José, que renomeará seu modesto estádio com o nome do zagueiro Michael Umaña.

O defensor de origem nicaraguense Óscar Duarte, autor de um gol sobre o Uruguai, também foi recebido como uma estrela em Manágua, capital do país vizinho, por centenas de torcedores, assim como em sua cidade natal, Catarina.

Todos os convocados e o técnico, o colombiano Jorge Luis Pinto, foram homenageados pela cidade de San José pelo extraordinário trabalho na Copa do Mundo e pelo exemplo de sucesso e superação que deram aos costarriquenhos.

Jorge Luis Pinto não escapou da "loucura" pela seleção. No Congresso da Costa Rica, os deputados agilizam um projeto de lei para outorgar a cidadania honorária ao treinador.

A fascinação dos torcedores ao redor dos jogadores se compara com a ocorrida em 1990, quando a equipe, em sua primeira Copa do Mundo, chegou às oitavas de final, uma conquista que só foi superada neste ano.

Forças e fraquezas: veja pontos chaves para a final da Copa Forças e fraquezas: veja pontos chaves para a final da Copa

EFE   
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade