PUBLICIDADE

Decisão polêmica frustra sonho do bi de Rafaela Silva

27 ago 2014
06h51 atualizado às 08h29
0comentários
06h51 atualizado às 08h29
Publicidade

A brasileira Rafaela Silva perdeu a oportunidade de conquistar o bicampeonato mundial de judô ao ser derrotada nas quartas de final da categoria até 57 kg, em uma luta marcada por decisões controversas da arbitragem, nesta quarta-feira em Chelyabinsk, na Rússia.

A jovem carioca de 22 anos, que no ano passado se tornou a primeira mulher brasileira a conquistar um título mundial, na sua cidade natal, o Rio de Janeiro, ainda tem chance de ganhar o bronze. Para isso, precisa derrotar a suíça Fabienne Kocher na repescagem para depois disputar a luta por medalha.

Os outros dois representantes do Brasil na categoria leve foram eliminados logo na estreia. Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008, Keyleyn Quadros foi derrotada por Chen-Ling Lien, de Taiwan, por ter levado uma punição, em luta que não teve pontuação.

Na categoria até 73 kg, Alex Pombo, estreante em Mundiais, foi surpreendido pelo belga Dirk Van Tichelt, perdendo por imobilização no fim da luta.

Rafaela viu o sonho do bi escapar por apenas uma punição. Contra a mongol Sumiya Dorjsuren, a brasileira sofreu duas punições contra apenas uma da adversária no início da luta e acabou levando um wazari.

Faltando um minuto para o fim, a carioca conseguiu projetar a adversária, mas o árbitro deu apenas wazari. Rafaela, portanto, permaneceu em desvantagem e acabou perdendo a luta.

Na estreia, a brasileira venceu facilmente a eslovena Vlora Bedeti, que foi eliminada por levar quatro punições depois de sofrer um yuko.

Em seguida, ela aplicou mais um yuko na austríaca Tina Zeltner no final da luta para garantir a vitória enquanto já estava em vantagem por conta de uma punição da adversária.

A derrota para a judoca da Mongólia, porém, tirou a brasileira da luta pelo ouro.

O torneio masculino também foi marcado por zebras. O francês Ugo Legrand, atual vice-campeão da categoria até 73 kg, foi eliminado logo nas oitavas de final por um atleta desconhecido, Huk Hyon Hong, da Coreia do norte.

"Tive que arriscar depois de levar uma pontuação, mas não dei sorte com meus golpes e o pesadelo aconteceu. Sou o primeiro decepcionado, realmente pensei que pudesse conquistar algo grande aqui", lamentou Legrand.

Já o número um do mundo, o esloveno Draksic Roc, foi superado pelo cazaque Yertugan Torenov, também nas oitavas.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade
Publicidade