5 eventos ao vivo

Arsenal critica opção 'inaceitável' por final da Liga Europa em Baku

Equipe alega que decisão tem causado problemas 'extremos' em termos de logística para os torcedores

16 mai 2019
14h13
atualizado às 14h25
  • separator
  • 0
  • comentários

A diretoria do Arsenal se posicionou contra a escolha da capital do Azerbaijão, Baku, para sediar a final da Liga Europa, afirmando que a opção tem causado problemas "inaceitáveis" e "extremos" em termos de logística para os torcedores.

Arsenal e Chelsea receberam apenas 6.000 ingressos, cada, da Uefa para o jogo de 29 de maio próximo, em um estádio com capacidade para 68.700 espectadores. Dirigentes da equipe dirigida pelo Unai Emery afirmaram que mesmo as poucas entradas disponíveis não foram ainda vendidas em sua totalidade devido às dificuldades para se chegar ao Azerbaijão.

"O tempo dirá se será possível chegar aos 6.000 torcedores do Arsenal dispostos a ir a este jogo, dados os desafios que essa viagem extrema exige", afirmou o clube nesta quinta-feira, por meio de um comunicado em seu site oficial. "Temos 45.000 sócios com direito a ingressos da temporada e muitos torcedores ficarão de fora deste jogo devido à escolha da Uefa por uma final em uma sede tão limitada em termos de logística de transportes. Isto simplesmente não está certo".

Há relativamente poucos voos para Baku partindo do oeste europeu, embora existam mais voos em operação especificamente para a final, e os preços estão bem acima dos usuais.

"Estamos recebendo muitas reclamações dos nossos torcedores acerca disso e entendemos totalmente suas preocupações", declarou o clube.

"Em respeito a nossos fãs, gostaríamos de entender os critérios de escolha para essas sedes das finais e também se os anseios dos torcedores são levados em conta nesta questão. Assim poderíamos exigir que a Uefa assegure que a logística com esses torcedores e suas necessidades sejam peça-chave em futuras decisões para a escolha de sedes de finais, pois o que aconteceu nesta temporada é inaceitável e não pode se repetir", concluiu a nota.

Ainda na quarta-feira, o ministro dos Esportes do Azerbaijão, Azad Rahimov, defendeu Baku como merecedora do evento. "Aqui é Europa e qualquer cidade deve ter a chance de sediar este tipo de evento", disse ele. "É realmente bom que as pessoas possam viajar para se conhecerem melhor. Acredito que da próxima vez que sediarmos este tipo de evento não haverá qualquer questionamento, pois acredito que ao se ambientarem com nossa bela cidade, com nossa hospitalidade, todos ficarão felizes em voltar".

Esta é a primeira final europeia do Arsenal em 13 anos, e o clube londrino busca seu primeiro troféu continental desde 1994. Baku também se candidatou para receber a decisão da Liga dos Campeões, mas foi derrotada por Madri.

A direção do Arsenal já havia se mostrado preocupada com o meia Henrikh Mkhitaryan, de origem armênia, devido às históricas tensões políticas entre Armênia e Azerbaijão.

Rahimov garantiu que Mkhitaryan poderá entrar e jogar normalmente no Azerbaijão. Já o técnico do Arsenal, Unai Emery, declarou: "Não sei qual o problema entre os dois países, mas faremos tudo para ter Mkhitaryan".

Nagorno-Karabakh é uma região do Azerbaijão controlada pelas forças étnicas armênias desde que a guerra entre os dois países acabou, em 1994.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade