0

Estudo aponta Lewis Hamilton como o melhor piloto da história; Senna é apenas o sétimo

Argentino Juan Manuel Fangio e alemão Michael Schumacher completam o pódio do ranking

20 nov 2020
19h06
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O portal inglês Money elaborou um ranking dos melhores pilotos da história da Fórmula 1. A escolha muitas vezes gera discussões que envolvem passado e presente da categoria, além das predileções por determinados estilos de pilotagem. Há quem diga inclusive que é impossível comparar temporadas diferentes, uma vez que se alteram circuitos, pontuação, carros e escuderias.

Neste levantamente, o piloto inglês Lewis Hamilton, que conquistou o heptacampeonato mundial no último GP da Turquia, ficou em primeiro lugar, com 92,2 pontos dos 100 possíveis. Em seguida, aparece o argentino Juan Manuel Fangio, pentacampeão, com 91,6 pontos.

Michael Schumacher apareceu em terceiro lugar, já abaixo dos 90 pontos. Ayrton Senna ficou apenas na sétima posição, com 70,7 pontos, atrás até de seu grande rival da categoria, Alain Prost, que ficou em 6.º.

Outros brasileiros que aparecem neste ranking são: o tricampeão Nelson Piquet, com 57,6, em 14.º lugar; e o bicampeão Emerson Fittipaldi, com 46,8 pontos, em 23.º lugar.

Entre os pilotos da atual geração, o alemão Sebastian Vettel ficou com o 9.º lugar. O espanhol Fernando Alonso, que retorna ao circo da Fórmula 1 na próxima temporada, figura na 24.ª posição. O finlandês Kimi Räikkönen ficou em 33.º. Já o holandês Max Verstappen alcançou a 46.ª posição, apesar de não ter conquistado títulos até aqui.

Diante de algumas ponderações, o portal definiu que seus critérios seriam baseados em porcentagens de vitórias, pódios e pole positions e que também levariam em consideração questões relacionadas às equipes, como por exemplo, número de abandonos por problemas mecânicos.

Outros itens analizados foram: número de títulos, corridas realizadas e um comparativo de pontos conquistados, ajustando ao atual sistema de pontuação.

Confira aqui o ranking completo idealizado pelo portal inglês.

Veja também:

Confira a repercussão da morte de Maradona na Argentina e pelo mundo
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade