PUBLICIDADE

Bolt relembra pressão nas Olimpíadas e projeta planos para o futuro

28 nov 2016 19h41
| atualizado às 19h41
ver comentários
Publicidade

As três medalhas de ouro conquistadas nas Olimpíadas do Rio de Janeiro representaram um alívio para Usain Bolt. O tricampeonato olímpico dos 100m, 200m e do revezamento 4x100m tirou um grande peso das costas do atleta, que revelou nesta segunda-feira ter perdido o prazer de correr por causa da pressão por resultados.

"A carga de trabalho que tive antes da Olimpíada e até do Mundial de 2015 significava tanta pressão e estresse que já não era mais divertido. Mas agora essa pressão se foi. Estou muito mais relaxado e feliz para ir treinar porque sei que não será mais tão intenso", disse o atleta ao jornal britânico The Guardian no lançamento de seu filme 'Eu sou Bolt'.

Com data certa para encerrar a carreira, após o Mundial de Londres, que acontece entre os dias 5 e 13 de agosto de 2017, Bolt garante que estará preparado e que não quer perder em sua despedida. Na capital inglesa, o jamaicano deve correr apenas a prova dos 100m rasos.

"Eu nunca quero perder. Sempre estarei preparado. Não importa o quanto eu relaxe eu ainda serei um competidor. Ainda não vou perder", declarou.

Em relação aos planos para o futuro, Bolt revelou o desejo de se tornar um embaixador do atletismo e promover o esporte. O atleta, inclusive, já teria conversado com Sebastian Coe, mandatário da Federação Internacional de Atletismo (Iaaf), sobre o assunto.

"Não quero simplesmente sair do esporte. Tivemos conversas, e eu disse a ele que amaria continuar como parte do esporte e promove-lo de qualquer forma possível. Também disse para minha equipe que preciso fazer mais trabalho de caridade. São as duas coisas em que estarei realmente focado depois de me aposentar", finalizou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade