0

Alex Pires conquista 2ª medalha e lidera fila de bronzes do Brasil em Lyon

22 jul 2013
12h51
atualizado às 15h54
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Alex Pires conquistou sua segunda medalha na competição realizada em Lyon - ele já havia sido prata nos 5000 m</p>
Alex Pires conquistou sua segunda medalha na competição realizada em Lyon - ele já havia sido prata nos 5000 m
Foto: Washington Alves/MPIX/CPB / Divulgação

O terceiro dia do Mundial Paralímpico de Atletismo começou bronzeado para o Brasil. Nesta segunda-feira, os atletas do Brasil tiveram uma sequência longa de terceiros lugares, que foi iniciada por Alex Pires, que conquistou sua segunda medalha na competição realizada em Lyon - ele já havia sido prata nos 5000 m e ainda tem pela frente a competição dos 1500 m.

Um tempo de 1min56s45 garantiu o bronze dos 800 m T46 para Alex, que teve a situação facilitada por conta do abandono do turco Cahit Kilicaslan. O atleta passou mal e deixou a prova pela metade e com apenas três competidores.

O próximo bronze foi de Teresinha Santos, nos 400 m T46, com um tempo de 59s31. Pouco depois, Shirlene Coelho ficou na terceira posição no arremesso de peso F37, que teve um resultado de 10,19 m.

"A marca não foi o que eu esperava, não era o que eu queria, mas deu para pegar o bronze. Eu tenho 10,72 m, então esperava isso ou mais um pouquinho. Já é um bom começo. No Rio só terei uma prova, a do lançamento de dardo, e vou trabalhar muito para ela", disse Shirlene.

Os próximos bronzes foram obtidos por homens. Yeltsin Francisco Jacques fez um tempo de 1min56s59 nos 800 m T12 e ficou na terceira posição. Esta foi a mesma colocação de Edson Pinheiro nos 100 m T38.

"Por um centésimo perdi a medalha de prata. Mas foi bom ter conseguido um pódio, é importante sempre trabalhar para isso. A prova não tem favorito, na hora que dá o tiro que se decide. Repeti a minha melhor marca, que eu não conseguia há cinco anos", explicou Edson.

O sexto bronze foi conquistado por Claudiney Santos, que, assim como Alex Pires, já tinha uma prata. Depois de subir no pódio no lançamento de dardo, ele ficou em terceiro no lançamento de disco F57/58. Ele ficou uma posição acima do compatriota Leonardo Amâncio.

*O repórter viajou a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro.

Veja também:

Os maiores artilheiros estrangeiros da história do Vasco
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade