2 eventos ao vivo

A importância da oratória e da comunicação para o advogado

Muitos advogados, apesar de deterem profundo conhecimento, ainda encontram dificuldades em se comunicar com o público leigo.

26 set 2017
22h56
atualizado em 5/10/2017 às 19h08
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Não é novidade afirmar que bons advogados, além de dominarem os assuntos referentes à sua área de atuação, devem falar bem. No entanto, possuir domínio de retórica e recursos comunicativos nem sempre é uma facilidade para todos. Mas isso não significa que aqueles que não possuem o “dom” da boa comunicação não podem aprender e passar a apresentar boa oratória. Pelo contrário! É preciso colocar em prática algumas técnicas que, certamente, ajudam no momento de expressar-se.

Um breve olhar à história da oratória jurídica

A cerca do século V a.C., Córax de Siracusa e seu discípulo, Tísias, dão origem à oratória jurídica, ao criarem o Primeiro Tratado de Retórica. O objetivo deste tratado era orientar advogados a trabalhar em causas de pessoas que queriam reaver bens e propriedades que haviam sido tomados pelos tiranos. Muito tempo depois, no ano de 1828, surge a oratória jurídica no Brasil, a partir da constituição das primeiras escolas jurídicas.

Falar bem aumenta suas possibilidades de sucesso

Os advogados possuem um arsenal de ferramentas usadas para a execução de seu trabalho. Entretanto, é preciso destacar dois recursos fundamentais: sua capacidade intelectual e sua oralidade. Dominar as leis e saber a melhor maneira de utilizá-las em um processo é crucial para que seu trabalho seja exitoso, mas, além disso, todo o seu conhecimento necessita ser claramente expressado e, normalmente, a maneira de expressá-lo é por meio da fala.

Assim, falar bem é uma exigência feita a quem decide seguir a carreira do Direito, pois seu universo demanda a prática discursiva. E se engana quem pensa que apenas advogados que trabalham em grandes empresas ou que já possuem reconhecimento precisam comunicar assertivamente. Independente da situação em que o profissional se encontra, é preciso saber a melhor maneira para se expressar.

Ao lidar com os clientes, boa parte de seu trabalho será aconselhar e negociar, de modo a buscar o sucesso nas negociações. Por isso, a comunicação clara e objetiva é indispensável. Ser capaz de utilizar-se de boa oratória faz com que o advogado seja bem avaliado pelos clientes, parceiros e todas as demais pessoas com as quais venha se relacionar. Comunicar-se bem atrairá a confiança das pessoas que o rodeiam.

Além disso, é indispensável que o advogado atente a todos os detalhes, visto que a boa comunicação pressupõe saber falar e, também, saber ouvir. Um bom advogado costuma ser observador em relação a tudo o que seu cliente lhe diz e, ainda, o que as demais pessoas na ocasião afirmam. Dessa forma, ao concatenar todas as informações obtidas, basta organizar uma oratória de qualidade para trabalhar com primazia.

Dicas cruciais para uma boa comunicação

Agora que já destacamos a importância da oratória e da comunicação para o trabalho dos advogados, é interessante destacar alguns conselhos para lograr o domínio da linguagem adequada.

A primeira dica que destacamos é possuir vasto domínio de vocabulário. Há momentos em que será necessário selecionar palavras mais específicas do meio jurídico e de maior formalidade. Porém, ao falar com o cliente, por exemplo, muitas vezes será necessário utilizar termos simplificados, para que a pessoa consiga compreender a explicação. O ideal é não exagerar nem na formalidade, nem na informalidade.

Relacionado a isso, é importante que haja preocupação em certificar-se de que o interlocutor compreendeu o que foi dito. Não se pode inferir que a explicação foi clara, mesmo que tenha existido esforço em ser suficientemente claro. Assim, é muito importante dar espaço para que o cliente expresse suas dúvidas. Além disso, perguntar se está sendo claro é uma boa maneira de saber se a comunicação está sendo eficaz.

Outra sugestão interessante é escolher o melhor meio para entrar em contato com o cliente. Na maioria das vezes, a melhor opção é conversar pessoalmente com a pessoa que está sendo atendida. Para poder entender a situação em que se encontra o indivíduo ou para dar determinadas notícias, por exemplo, nada substitui o famoso “olho no olho”. Meios de comunicação como o telefone e o e-mail não possibilitam a utilização de recursos como o tom de voz ou a linguagem corporal, que também auxiliam para a boa comunicação.

Um exemplo do importante domínio comunicativo

Uma empresa brasileira atuante no mercado do Direito serve como exemplo da importância da comunicação para o atendimento ao público. A Doutor Multas trabalha com direito de trânsito, atendendo pessoas de todo o Brasil, ajudando principalmente os motoristas a evitar a suspensão do direito de dirigir.

Isso faz com que muitas pessoas entrem em contato com a empresa para tirar suas dúvidas. A equipe de advogados precisa dominar as técnicas de boa comunicação para que seja possível explicar o elevado número de leis necessárias ao entendimento de cada caso apresentado pelos seus clientes.

Assim, se faz necessário adequar a linguagem a cada caso e cliente atendido, pois cada situação exige uma seleção de vocabulário, organização de ideias, estruturas oracionais e diversos outros recursos comunicativos para garantir o sucesso na causa trabalhada. Portanto, assim como os profissionais da Doutor Multas, é indispensável que todos os que optam por trabalhar na área do Direito busquem meios de aprimorar seu domínio de oratória e comunicação, garantindo, dessa forma, sucesso em sua atuação profissional.

Quer tornar-se advogado e possui dúvidas sobre o assunto aqui abordado? Deixe sua pergunta nos comentários.

https://doutormultas.com.br/suspensao-direito-dirigir

Veja também:

Jovem é detido com arma pela equipe Bope da Polícia Militar
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade