PUBLICIDADE

Governo oficializa demissão de Neri Geller após suspeitas de fraude em leilão do arroz

Duas empresas criadas por um ex-assessor do secretário intermediaram a venda do arroz pelo leilão

12 jun 2024 - 11h40
(atualizado às 12h34)
Compartilhar
Exibir comentários
 Geller teria colocado seu cargo à disposição na terça-feira, 11.
Geller teria colocado seu cargo à disposição na terça-feira, 11.
Foto: Portal de Prefeitura

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, foi exonerado nesta quarta-feira, 12, em publicação no Diário Oficial da União. A demissão de Geller ocorre em meio às suspeitas de fraude no leilão do arroz, anulado pelo governo.

Duas empresas criadas por um ex-assessor de Neri Geller --Bolsa de Mercadorias de Mato Grosso (BMT) e Foco Corretora de Grãos-- intermediaram a venda do arroz pelo leilão. A saída de Geller já havia sido anunciada na terça-feira, 11, pelo ministro da Agricultura, Carlos Fávaro. 

Durante entrevista em que anunciou a anulação do leilão, Fávaro disse que Geller teria colocado seu cargo à disposição devido ao mal-estar provocado pela revelação. “Ele pediu demissão e eu aceitei”, afirmou Carlos Fávaro em coletiva à jornalistas.

Novo leilão

De acordo com o presidente da Conab, Edegar Pretto, a companhia pretende fazer um novo leilão de arroz, mas com ferramentas que já garantam que as empresas contratadas terão capacidade técnica e financeira. A data do novo leilão, contudo, não está definida.

"Vamos revisitar os mecanismos estabelecidos para esses leilões com apoio da Controladoria-Geral da União, da Advocacia-Geral da União, e pretendemos fazer um novo leilão, quem sabe em outros modelos para a gente poder ter garantias que vamos contratar empresas que terão capacidade técnica e financeira", comentou.

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, reforçou que "não haverá recuo da decisão, tendo em vista que o arroz precisa chegar à mesa do brasileiro a preço justo". De acordo com ele, Lula quer que o arroz e outros alimentos estejam à mesa da população a preços justos.

O leilão foi promovido para garantir o fornecimento de arroz no Brasil, após as enchentes no Rio Grande do Sul, já que o Estado é o principal produtor do grão, responsável por 70% da produção nacional de arroz. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade