PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

FMI prevê crescimento global lento mas constante em 2024; China e conflitos são riscos

16 abr 2024 - 10h12
(atualizado em 17/4/2024 às 15h04)
Compartilhar
Exibir comentários

A economia global deve ter mais um ano de crescimento baixo mas constante, disse o Fundo Monetário Internacional nesta terça-feira, com a força dos Estados Unidos impulsionando a produção mundial em meio à inflação elevada, demanda fraca na China e na Europa e repercussões de duas guerras regionais.

Logo do Fundo Monetário Internacional em Washington
09/10/2016
REUTERS/Yuri Gripas
Logo do Fundo Monetário Internacional em Washington 09/10/2016 REUTERS/Yuri Gripas
Foto: Reuters

O FMI prevê um crescimento real do PIB global de 3,2% para 2024 e 2025 -- a mesma taxa de 2023. A previsão para 2024 foi revisada para cima em 0,1 ponto percentual em relação à estimativa anterior de seu relatório Perspectiva Econômica Global de janeiro, em grande parte devido a uma melhora significativa na projeção dos EUA.

"A economia global continua a demonstrar uma resiliência notável, com o crescimento se mantendo estável e a inflação em declínio, mas ainda há muitos desafios pela frente", disse Pierre-Olivier Gourinchas, economista-chefe do FMI.

Uma possível escalada do conflito no Oriente Médio após o ataque de foguetes e drones do Irã contra Israel poderia ter um "forte efeito" sobre a limitação do crescimento, disse ele, acrescentando que isso aumentaria os preços do petróleo e a inflação, desencadeando uma política monetária mais rígida por parte dos bancos centrais.

O Tesouro dos EUA está se preparando para aplicar novas sanções ao Irã nos próximos dias, o que pode limitar sua capacidade de exportar petróleo, disse a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, nesta terça-feira.

O relatório descreveu um "cenário adverso" no qual uma escalada no Oriente Médio levaria a um aumento de 15% nos preços do petróleo e os custos mais altos de transporte aumentariam a inflação global em cerca de 0,7 ponto percentual.

O FMI prevê que a inflação global mediana cairá de 4% no ano passado para 2,8% até o final de 2024 e para 2,4% em 2025.

DIVERGÊNCIA ENTRE EUA E EUROPA

O FMI revisou bruscamente para cima sua previsão de crescimento dos EUA de 2,7% em 2024, em comparação com os 2,1% projetados em janeiro, diante de um mercado de trabalho e gastos dos consumidores mais fortes do que o esperado no final de 2023 e em 2024. O Fundo espera que o efeito defasado das políticas monetária e fiscal mais restritivas enfraqueça o crescimento dos EUA para 1,9% em 2025, embora isso também tenha sido uma revisão para cima em relação à estimativa de 1,7% em janeiro.

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, citou a grande divergência entre os EUA e a Europa, que está enfrentando um crescimento mais lento e uma queda mais acelerada da inflação.

As últimas projeções do FMI revisaram o crescimento da zona do euro em 2024 para 0,8%, contra 0,9% projetado em janeiro, principalmente devido à fraqueza da confiança dos consumidores na Alemanha e na França.

CHINA

O FMI manteve a sua previsão de que o crescimento da China em 2024 cairá para 4,6%, de 5,2% em 2023, com uma queda adicional para 4,1% em 2025. Mas alertou que a falta de um pacote de reestruturação abrangente para o conturbado setor imobiliário do país pode prolongar uma retração na demanda doméstica e piorar as perspectivas da China.

Essa situação também pode intensificar as pressões deflacionárias na economia da China, levando a um aumento nas exportações baratas de bens manufaturados que pode alimentar uma retaliação comercial por parte de outros países -- um cenário sobre o qual a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, alertou durante uma viagem à China neste mês.

Gourinchas disse, entretanto, que o crescimento mais forte do que o esperado da China no primeiro trimestre pode levar a uma revisão para cima da perspectiva.

O FMI recomendou que a China acelere o fim de incorporadoras inviáveis e promove a conclusão de projetos habitacionais inacabados, apoiando simultaneamente as famílias vulneráveis para ajudar a restaurar a demanda do consumidor.

Mas o credor global notou pontos positivos em alguns outros grandes países de mercados emergentes, aumentando a sua previsão de crescimento para a economia do Brasil em 2024 em 0,5 ponto percentual, para 2,2%, e para a Índia em 0,3 ponto, para 6,8%.

O Fundo observou que o grupo de 20 grandes países de mercados emergentes desempenha agora um papel mais importante no sistema comercial global e tem capacidade para suportar uma maior parte do crescimento no futuro.

Mas o FMI afirmou que os países em desenvolvimento de baixa renda continuam a enfrentar dificuldades com ajustes pós-pandemia e maiores níveis de "cicatrizes" econômicas do que os mercados emergentes de renda média. No seu conjunto, estes países em desenvolvimento de baixo rendimento viram a sua previsão de crescimento para 2024 ser reduzida para 4,7%, de 4,9% em janeiro.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade