PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Economia mundial vai evitar recessão mas crescimento é muito baixo, dizem fontes do governo alemão

16 abr 2024 - 08h06
Compartilhar
Exibir comentários

O perigo de uma recessão global foi, em grande parte, evitado, mas o crescimento será fraco, disseram fontes do governo alemão referindo-se às previsões do Fundo Monetário Internacional que serão publicadas nesta terça-feira.

"A economia global está crescendo, mas não está crescendo de forma muito dinâmica. Em outros lugares, como aqui, ela não está crescendo de forma alguma", disse uma das fontes.

Portanto, são necessárias reformas estruturais, acrescentaram.

"No médio prazo, as perspectivas de crescimento global também são insatisfatoriamente baixas", disse uma fonte.

A reunião de primavera do FMI, nesta semana em Washington, acontece em um momento difícil, recentemente exacerbado pelo ataque iraniano a Israel.

Às margens da reunião, os ministros de Finanças e presidentes dos bancos centrais do G20 realizarão duas reuniões, cada uma com foco em um único tópico.

Na quarta-feira, eles discutirão o financiamento climático, seguido de uma reunião na manhã de quinta sobre o fortalecimento dos bancos internacionais de desenvolvimento.

Não há previsão de um comunicado, disseram as fontes.

O ministro das Finanças da Alemanha, Christian Lindner, e o presidente do banco central, Joachim Nagel, pediram que o FMI volte a se concentrar em suas tarefas principais em um artigo de opinião escrito em conjunto e publicado no Handelsblatt nesta terça-feira.

"O financiamento de uma agenda de política de desenvolvimento não é a tarefa original do FMI e deve ser deixado para instituições como o Banco Mundial", escreveram Lindner e Nagel antes das reuniões de primavera.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade