PUBLICIDADE

Dólar sobe frente ao real em linha com exterior após ata do Copom

25 jun 2024 - 09h15
(atualizado às 10h00)
Compartilhar
Exibir comentários

O dólar subia frente ao real nas negociações desta terça-feira, em linha com seus ganhos em mercados globais, à medida que os investidores analisavam a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada mais cedo, e aguardavam uma série de dados de inflação nesta semana.

Às 9h46, o dólar à vista subia 0,43%, a 5,4135 reais na venda. Na B3, o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,32%, a 5,4140 reais na venda.

Nesta manhã, o dólar recuperava sua força após uma sessão marcada por perdas generalizadas na véspera, o que refletia em sua alta no Brasil. O índice do dólar -- que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas -- subia 0,11%, a 105,630.

O avanço da divisa norte-americana também podia ser visto em países emergentes, com destaque para a alta de 0,39% em relação ao peso mexicano e a valorização de 0,24% ante o rand sul-africano.

Na segunda-feira, o dólar à vista encerrou o dia cotado a 5,3904 reais na venda, em baixa de 0,94%, após ter atingido na quinta-feira passada o maior valor de fechamento em quase dois anos.

No cenário doméstico, o mercado analisava a ata da reunião do Copom na semana passada, quando os membros do BC decidiram manter a taxa Selic em 10,50% ao ano, interrompendo um ciclo de sete cortes de juros consecutivos.

No documento divulgado nesta terça-feira, as autoridades aprofundaram pontos levantados na semana anterior, reiterando uma postura de cautela diante de um ambiente global incerto e cenário doméstico marcado por resiliência na atividade, elevação de projeções de inflação e expectativas desancoradas.

A postura do BC atraiu críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na semana passada, o que, junto de preocupações do mercado com as contas públicas brasileiras, impulsionaram o dólar no Brasil.

"No dia de hoje, a ata mais firme do Copom sugere a possibilidade de que nós teremos uma pressão baixista (para o dólar)", disse Leonel Mattos, analista de Inteligência de Mercado da StoneX.

"Por outro lado, faz algum tempo que a percepção de risco se mantém elevada e o comunicado do Copom na semana passada não conseguiu amenizar essa situação", acrescentou.

Nesta semana, os investidores ainda voltam suas atenções para a divulgação de novos dados de inflação, em busca de sinais sobre o processo de controle dos preços a nível global.

O mercado nacional analisará na quarta-feira novos dados do IPCA-15 para junho, com expectativa de analistas consultados pela Reuters de alta de 0,45% na base mensal, ante 0,44% no mês anterior.

No cenário externo, os investidores estarão atentos à divulgação na sexta-feira de números do índice PCE de maio, o indicador de inflação preferido do Federal Reserve. Analistas projetam estabilidade, ante alta de 0,3% em abril.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade