PUBLICIDADE

Como capacitar chefes para que eles sejam (de fato) líderes?

Enquanto o chefe dá ordens que devem ser seguidas, um líder inspira, motiva e capacita sua equipe

15 mai 2024 - 06h15
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O artigo defende que, ao capacitar os colaboradores, um líder efetivo promove um ambiente onde o crescimento individual contribui diretamente para o crescimento e a adaptabilidade da organização como um todo.
Foto: Freepik

Muitas vezes, a ascensão a uma posição de liderança vem acompanhada de novas responsabilidades e expectativas, e nem todos os chefes estão preparados para enfrentar esse desafio. Capacitar os chefes para que se tornem verdadeiros líderes é crucial para criar ambientes de trabalho mais produtivos, motivadores e inclusivos. Mas como podemos realizar essa transformação?

Em primeiro lugar, é importante reconhecer que ser um chefe não é o mesmo que ser um líder. Enquanto o chefe dá ordens que devem ser seguidas, um líder inspira, motiva e capacita sua equipe a alcançar seus objetivos de forma colaborativa e eficaz. Portanto, o primeiro passo para capacitar os chefes é fornecer treinamento e desenvolvimento em habilidades de liderança.

Todo esse processo deve alcançar uma variedade de competências essenciais, incluindo comunicação eficaz, habilidades interpessoais, gestão de conflitos, tomada de decisões, empatia e inteligência emocional. Além disso, os chefes precisam aprender a delegar tarefas de forma adequada, reconhecer e valorizar o trabalho de suas equipes e criar um ambiente de trabalho que promova a colaboração e a inovação.

Além disso, é importante que promovam uma cultura organizacional que valorize a liderança em todos os níveis da empresa. Isso significa reconhecer e recompensar as habilidades de liderança, independentemente do cargo ou posição hierárquica. As oportunidades de desenvolvimento de liderança devem estar disponíveis para todos os funcionários, não apenas para aqueles em cargos de gestão.

Feedback regular

Os chefes precisam ser incentivados a buscar feedback regularmente e a se autoavaliar em relação às suas habilidades de liderança. Isso pode envolver a realização de avaliações 360 graus, participação em programas de mentoria ou coaching e a busca de oportunidades de aprendizado contínuo.

No entanto, a verdadeira transformação de chefe para líder vai além do treinamento e do desenvolvimento de habilidades. Requer uma mudança fundamental na mentalidade e na abordagem dos chefes em relação ao seu papel dentro da organização. Eles precisam entender que sua principal responsabilidade não é apenas supervisionar o trabalho de seus subordinados, mas também orientá-los, inspirá-los e capacitá-los a alcançar seu pleno potencial. 

Orientar implica fornecer direção e feedback construtivo, estabelecendo metas claras e realistas que estão alinhadas com os objetivos da organização. Isso inclui também o desenvolvimento de um plano de ação que guie os colaboradores na execução de suas tarefas e na superação de desafios, fornecendo os recursos e o suporte necessários para o sucesso. 

Já inspirar é sobre criar uma visão motivadora que ressoe com a equipe. Isso pode ser alcançado através do exemplo pessoal, demonstrando paixão e dedicação que instigam os colaboradores a seguir a mesma trilha. Inspirar também envolve reconhecer e celebrar as conquistas da equipe, o que reforça uma cultura positiva e estimulante, incentivando cada membro a se empenhar ao máximo e contribuir para o sucesso coletivo.

Por fim, capacitar significa fornecer às equipes as ferramentas e a autonomia para tomar decisões e resolver problemas por conta própria. Isso inclui encorajar a iniciativa e a inovação, permitindo que os colaboradores explorem novas ideias e abordagens. A capacitação também se estende ao incentivo ao desenvolvimento pessoal e profissional contínuo, através de oportunidades de formação e aprendizagem que expandam suas habilidades e competências. Assim, ao capacitar os colaboradores, um líder efetivo promove um ambiente onde o crescimento individual contribui diretamente para o crescimento e a adaptabilidade da organização como um todo.

(*) Samir Iásbeck é CEO e fundador do Qranio, plataforma de aprendizagem que utiliza ludificação; também é sócio-fundador da eMiolo.com, software house que oferece soluções personalizadas para médias e grandes empresas.

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade