PUBLICIDADE

4 dicas para evitar os golpes mais comuns via Pix

Acompanhe quatro dicas simples para usar o Pix de maneira mais segura

13 out 2022 - 02h00
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Freepik

O Pix está comemorando dois anos. Trata-se de uma ferramenta que acelerou muito a digitalização de pagamentos, além de abrir uma oportunidade para novos golpes.

Para que as pessoas possam se proteger e evitar qualquer problema, separamos quatro dicas simples para usar o Pix de maneira mais segura.

1. Nunca tenha as suas senhas anotadas

Se o seu celular for roubado, mesmo que você utilize biometria, ele poderá ser desativado e o aplicativo do banco acessado por senha. Os ladrões irão vasculhar notas e e-mails, em busca de arquivos com senhas anotadas.

2. Não aceite o comprovante do Pix, confira sua conta

Se você vende alguma coisa e recebe via Pix, nunca aceite apenas o comprovante para liberar a venda, sempre confira a sua conta antes de fazer a liberação. Transferências via Pix são instantâneas e é muito fácil falsificar um comprovante de pagamento, por isso sempre verifique o seu extrato para garantir que o dinheiro realmente foi creditado.

3. Evite criar chaves por todo lugar 

Muitas fintechs, carteiras digitais e aplicativos de fidelidade permitem criar chaves Pix, porém você deixa de usar o aplicativo, mas não remove a chave Pix deixando seus dados vulneráveis. Por isso tenha chaves Pix apenas nas instituições que você mantém um relacionamento frequente.

4. Prefira usar chaves aleatórias

Em um eventual vazamento de dados, como o ocorrido no último mês e reportado pelo banco central, as chaves Pix podem ser usadas como meio para conseguir mais dados do usuário para aplicação de golpes. 

Para dificultar a vida dos golpistas e tornar seus dados mais seguros, sempre prefira utilizar chaves Pix aleatórias ao invés do seu CPF ou celular.

(*) Rafael Franco é CEO da Alphacode.

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade