0

Em live, ex-ministro Mandetta comenta polêmica com a Globo

Médico que comandou a ação do governo contra a pandemia de covid-19 defende a imprensa livre

25 jun 2020
15h50
atualizado às 15h50
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Na noite de quarta-feira (24), o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta foi o entrevistado em uma livre promovida pela apresentadora Flávia Mandetta. O sobrenome italiano revela o grau de parentesco: são primos. Em ambiente descontraído na web, bem diferente da tensão vivida em seus últimos meses no governo de Jair Bolsonaro, o médico comentou uma controvérsia repercutida na mídia e nas redes sociais.

Mandetta e Mandetta: ex-ministro participou de transmissão bem-humorada no Instagram de apresentadora
Mandetta e Mandetta: ex-ministro participou de transmissão bem-humorada no Instagram de apresentadora
Foto: Instagram / Reprodução

"Desliguem um pouco a televisão. Às vezes ela é tóxica demais. Há quantidade de informações e, às vezes, os meios de comunicação são sórdidos porque ele só vendem se a matéria for ruim", disse Mandetta em coletiva de imprensa no dia 28 de março. A crítica à mídia que sempre o apoio suscitou reações inflamadas, inclusive da Globo.

Na edição daquela noite, o Jornal Nacional o atacou. "O ministro da Saúde encontrou uma outra maneira de agradar o presidente. Criticou o trabalho da imprensa", leu a âncora substituta Ana Paula Araújo. "É estarrecedor que ele não reconheça que o nosso trabalho, o trabalho de todos os colegas jornalistas, daqui da Globo, mas também de todos os veículos, é um remédio poderoso: dar informação para que o povo possa se proteger."

Na transmissão de ontem no Instagram, Mandetta admitiu ter se equivocado. "O que me arrependo naquela fala foi ter dito que às vezes a imprensa é sórdida. Não usei o adjetivo certo. Às vezes é over, às vezes é além. Veja os noticiários, mas dê um pouco de paz ao seu espírito", explicou.

No bate-papo com Flávia Mandetta (conhecida por trabalhos na TV Gazeta, Band e RedeTV!), ele comentou a respeito da importância de as pessoas não exagerarem no consumo de televisão a fim de manter o equilíbrio da saúde mental. "Em um momento como esse, com excesso de informações sobre o coronavírus, você tem que ler um livro, ver um filme."

Na sequência, deu outras sugestões. "Conversa com o marido, os filhos, joga War, sei lá, faça qualquer coisa, pule amarelinha, mas saia um pouco da frente da televisão. O pessoal acaba ficando com estresse. O assunto (na TV) fica monotemático e não tem saída."

Luiz Henrique Mandetta ressaltou o valor das entrevistas dos técnicos do Ministério da Saúde  transmitidas pelas TVs todas as tardes durante sua gestão. "Todo mundo da imprensa trabalhava aquilo (as informações divulgadas) e chegava nesse Brasilzão", relembrou. "As entrevistas diárias salvaram milhares de vidas."

O ex-ministro afirma ter investido pouco em propaganda oficial a respeito da pandemia justamente porque a mídia ajudava a espalhar as recomendações de prevenção aos quatros cantos do País. Em outro trecho da live que atraiu milhares de espectadores, Mandetta defendeu a liberdade de expressão e se colocou contra a censura.

"Não gosto de deslealdade com a notícia, quando tratam mal a notícia. Mas ainda prefiro aturar o mau jornalista a ter qualquer tipo de monitoramento ou uma imprensa não livre. A imprensa ajudou muito", afirmou.

Veja também:

Bolsonaro faz novo exame para detectar covid-19
Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade