2 eventos ao vivo
TV

Fox News anuncia saída do apresentador Bill O'Reilly

19 abr 2017
17h15
atualizado às 17h53
  • separator
  • comentários

A gigante da comunicação "21st Century Fox" anunciou nesta quarta-feira (19) a saída do apresentador Bill O'Reilly do canal "Fox News" por conta das denúncias de assédio sexual apresentadas nos últimos tempos.

"Depois de uma análise completa e cuidadosa das alegações, a empresa e Bill O'Reilly concordaram que Bill O'Reilly não retornará ao canal 'Fox News'", afirmou em comunicado a "21st Century Fox", detentora do canal.

Bill O'Reilly
Bill O'Reilly
Foto: Ilya S. Savenok / Getty Images

A decisão foi informada depois que diferentes meios de comunicação divulgaram no início deste mês que O'Reilly e a "21st Century Fox", desde 2002, pagaram até US$ 13 milhões a cinco vítimas para que não dessem continuidade aos processos por assédio. O escândalo, revelado pela primeira vez pelo jornal "The New York Times", fez com que 50 companhias, incluindo Mercedes-Benz, Hyundai e BMW, retirassem seus anúncios do programa "The O'Reilly Factor".

Grupos como a Organização Nacional para as Mulheres (NOW) passaram semanas pressionando à "21st Century Fox" para que ela demitisse O'Reilly por um caso que "faz parte de uma cultura mais ampla" e que requer uma "investigação imediata e independente".

Tanto o apresentador quanto a rede sempre garantiram que as acusações eram falsas, mas aceitaram pagar uma soma de seis cifras a uma denunciante para que ficasse em silêncio e não levasse o caso aos tribunais, conforme publicou o jornal.

A "Fox News" tenta se esquivar de um escândalo que começou no meio do ano passado, quando os ex-apresentadora Gretchen Carlson interpôs uma demanda por assédio sexual contra o então diretor do canal de notícias, Roger Ailes, demitindo em julho.

Cerca de 4 milhões de espectadores acompanham todas as noites o "The O'Reilly Factor". Trata-se do programa mais visto da TV a cabo americana em 2016 e que rendeu US$ 446 milhões em anúncios em dois anos, de acordo com uma pesquisa da empresa "Kantar Media".

Veja também

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade