Música

Morte de fã de Taylor Swift não foi acidente, foi negligência criminosa

18 nov 2023 - 13h07
Compartilhar

O Brasil todo se entristece com a morte de Ana Clara Benevides, a jovem estudante de psicologia do Mato Grosso que passou mal logo no início do show de Taylor Swift no Rio de Janeiro. Mas não se trata de acidente. A questão é de negligência, como apontam muitas pessoas que estavam no estádio. Diversos fãs nas redes socias denunciaram e muitas reportagens estão citando filas desorganizadas na entrada e tapumes que atrapalhavam a circulação de ar. Poucos bebedouros e escadas lotadas que impediam acesso aos bebedouros e banheiros. Fora os preços salgados: um copo de água tinha preço oficial de R$ 8,00, e era vendido por até R$ 12,00 nas arquibancadas. O pior é que já havia uma previsão de extremo calor para o dia no Rio de Janeiro. A sensação de temperatura dentro do estádio chegou a mortais 60 graus centígrados. Era responsabilidade da produtora do show, a Time 4 Fun, adaptar antecipadamente sua estrutura e organização para enfrentar isso. Ou cancelar o show. A trágica morte de Ana Clara Benevides alerta para uma situação de risco permanente para quem frequenta shows no Brasil. Não dá mais para as produtoras lavarem as mãos e arrumarem desculpas para esses "acidentes". O Congresso pode ajudar, aprovando rapidamente um projeto de lei que permita a todos levarem água para eventos, ou a distribuição gratuita de água. Vários já foram apresentados no passado, como explico neste vídeo.

Homework Homework
Publicidade
Seu Terra












Publicidade