5 eventos ao vivo

"Sucesso é fazer um disco melhor que outro", diz Cachorro Grande

8 mar 2012
16h43
atualizado às 18h35
  • separator

Convidado do Terra Live Music desta quinta-feira (8), o Cachorro Grande disse que o segredo do sucesso é sempre fazer o que gosta e produzir um disco melhor que outro. "Se eu soubesse a chave do sucesso produziria um monte de bandas, mas acho que fazer o que gosta, do jeito que gosta e fazer um disco melhor que outro é quase isso. Eu não vejo coisa melhor do que estar no palco com esses caras, mesmo com altos e baixos", disse Beto Bruno, vocalista do quinteto gaúcho.

Abrindo com Difícil de Segurar, faixa do novo trabalho, Baixo Augusta, Beto comentou que a inspiração para a letra foi o acidente que o guitarrista Marcelo Gross sofreu ao bater o carro. "A base já tinha há muito tempo, mas a letra nunca tinha aparecido. Eu falei para ele escrever algo da vida dele, porque eu não achava uma letra para isso. Foi ai que ele bateu o carro", explicou.

Em seguida, a banda tocou Tudo Vai Mudar, antes de comentarem sobre as semelhanças das bandas gaúchas. "Porto Alegre é muito beatlemaníaca, muito sessentista". O Cachorro Grande também comentou sobre a origem do nome, dizendo que há várias versões para a história. "A que a gente mais usa é que no começo só nos davam meia hora para tocar e selecionar músicas de The Who, Beatles e outras de nossas influências era uma briga de cachorro grande".

Antes do primeiro bloco, o quinteto ainda comentou sobre a mudança para São Paulo. "Foi inevitável, porque o rock é uma música universal e toda banda de rock tem que procurar os centros", explicou Beto Bruno. "No começo a gente morava todo mundo junto, banda e roadies. Hoje todo mundo tem seu canto".

Com Marcelo nos vocais, a balada Corda Bamba, também do novo disco, foi a terceira que o quinteto apresentou. Sobre o nome do álbum, a banda contou à apresentadora Lorena Calábria que era para representar o momento da rua mais alternativa de São Paulo.

"Quando chegamos aqui, havia apenas uma casa de show e as pessoas bebiam cerveja na padaria. Hoje tem pubs incríveis, cinco, seis casas de show. Mas a Augusta deu uma certa glamourizada, há condomínios de luxo sendo construídos, está se descaracterizando", disse Beto Bruno.

Dia Perfeito, a quarta do dia, foi um pedido de Malásia, ex-Ultramen e amigo da banda, que bateu um papo pela transmissão em vídeo. Eles lembraram os tempos do rock no Rio Grande do Sul e do Acústico MTV Bandas Gaúchas.

A banda também comentou sobre a importância de Lobão, que em 2004 lançou o As Próxima Horas Serão Muito Boas, segundo disco do Cachorro Grande. "Ele nos viu no Planeta Atlântida, gostou do nosso som e foi nos visitar no camarim. Lá, a gente falou que não queriam lançar nosso disco porque não era radiofônico. Então, ele foi e lançou pela revista dele, a OutraCoisa. Somos amigos até hoje".

O Cachorro Grande seguiu com Baixo Augusta, single que leva o nome do último disco, e Surreal, cantada pelo baixista Rodolfo Krieger. Antes de finalizar, com Hey Amigo, a banda comentou sobre os planos para 2012. Ainda neste ano, a banda lança o DVD ao vivo no Circo Voador, no Rio de Janeiro, além de fazer turnê de divulgação de Baixo Augusta.

Marcelo Gross também espera lançar seu disco solo. "Tenho muitas músicas que a banda não deixa tocar. Agora vou mostrar que elas são boas", disse o guitarrista, rindo.

Difícil de Segurar, por Cachorro Grande
Fonte: Terra
publicidade