PUBLICIDADE

Nostalgia e romance se misturam em 5º dia do Rock in Rio

Clássicos de Bon Jovi e Tears for Fears deram o tom da noite ao festival, que contou também Jota Quest e Alter Bridge no Palco Mundo

23 set 2017 09h24
| atualizado às 17h39
ver comentários
Publicidade

Como já era esperado, o ar romântico tomou conta da quinta noite do Rock in Rio. Nos shows dessa sexta-feira, Bom Jovi, Tears for Fears e Jota Quest apostaram em setlists carregados de músicas com a temática. Veja como foram as apresentações no Palco Mundo.

Headliner da noite, Bon Jovi cantou até perder a voz no Rock in Rio
Headliner da noite, Bon Jovi cantou até perder a voz no Rock in Rio
Foto: Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

Jota Quest

Pode-se dizer que o show do Jota Quest teve vários elementos. Além de apresentar um setlist com sucessos e novidades, a banda mineira ainda emplacou um discurso contra a corrupção no país, em forma de protesto. O repertório foi aberto com Na moral e Tempos Modernos, que tem ritmo mais dançante. Aí, Rogério Flausino emplacou um discurso de protesto. “A gente quer mandar um abraço para toda a galera que mora nas comunidades. O Brasil não é isso! O Brasil é a verdade, a coragem de cada um de nós que sai de casa todo dia para ‘trampar’, cuidar da família, para estar aqui no Rock in Rio. A paz é mais importante do que todos os motivos que esses canalhas têm para passar a mão na nossa grana. É muito difícil chegar aqui e falar este tipo de coisa. Hoje estamos vivendo em um momento tão polarizado”, disse o vocalista, que estava com a bandeira do Amazonia Live, projeto socioambiental do Rock in Rio.

Banda mineira Jota Quest abriu a quinta noite do Rock in Rio
Banda mineira Jota Quest abriu a quinta noite do Rock in Rio
Foto: Martini/I Hate Flash

O setlist também teve: Dias Melhores, a novidade Pra Quando Você se Lembrar de Mim, Mandou Bem, De Volta ao Planeta dos Macacos, Só Hoje, Fácil, Além do Horizonte, Blecaute, e De dentro de um abraço.

 

Alter Bridge

Quem esperava o pós-grunge marcante da banda Alter Bridge, acabou sendo surpreendido com o hard rock, no segundo show da noite dessa sexta-feira. Assim, podemos dizer que a banda destoou do ar romântico das outras, mas cumpriu bem a missão para aqueles que curtem som mais pesado do metal.

Com o guitarrista Mark Tremonti, o baterista Scot Phillips, o baixista Brian Marshall (todos ex-Creeds), além de o vocalista Myles (conhecido por cantar na banda de Slash, do Guns’N’Roses), o grupo apresentou um setlist com dez músicas, sem nenhum grande sucesso recente: Come to Life, Addicted, Cry of Achiles, My Champion, Water Rising, Isolation, Blackbird, Open Your Eyes, Metalingus, Rise Today.

Coube à banda Alter Bridge dar a pegada mais hard rock da noite
Coube à banda Alter Bridge dar a pegada mais hard rock da noite
Foto: Diego Padilha/I Hate Flash

Tears For Fears

A partir daí, o mix de amor e nostalgia tomou conta da noite. Primeiramente, com o show de Tears For Fears. Os grandes sucessos da década de 1980 fizeram a multidão cantar, em coro, no Rock in Rio. 

Os grandes hits do setlist foram Shout, Everybody Wants to Rule the World e Head over Heels. De novidade, a principal foi Creep, cover do Radiohead. O repertório ainda teve: Role the World, Secret World, Sees of Love, Advice For The Young At Heart, Everybody Loves A Happy Ending, Change, Mad World, Memories Fade, Pale Shelter e Breaking it down again. Alguns lamentaram a ausência de Woman in chains, uma grande ressalva do show.

Com clássicos dos anos 80, Tears For Fears embalou o público
Com clássicos dos anos 80, Tears For Fears embalou o público
Foto: Martini/I Hate Flash

Bon Jovi

Atração mais esperada da noite, Bon Jovi definitivamente não decepcionou. Para alguns, talvez, tenha faltado a clássica Always, que seria novamente entoada pelo coro de milhares de pessoas. Nada, no entanto, que tire o brilho do que foi a performance do veterano vocalista.

É verdade que faltou voz ao cantor, já na reta final do show. Mas a empolgação compensou, mesmo com 2h de duração de apresentação. Apoiado por Tico Torres, o guitarrista Phil X e toda a banda, Jovi apostou em seus clássicos românticos, além de apresentar sucessos emplacados ao longo dos mais de 30 anos de carreira.

Headliner da noite, Bon Jovi cantou até perder a voz no Rock in Rio
Headliner da noite, Bon Jovi cantou até perder a voz no Rock in Rio
Foto: Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

This House Is Not For Sale, Raise Your Hands e Knockout abriram o repertório. Em You Give Love Bad Name, o público teve sua primeira grande explosão. Em seguida, vieram: Born to Be My Baby”, “Lost Highway”, “Because We Can”, “I’ll Sleep When I’m Dead”, “Runaway, We Got It Going On, Someday I’ll Be Saturday Night e Bed of Roses (as duas últimas conferiram um ar ainda mais romântico à noite carioca).

O setlist foi complementado por It’s My Life, Captain Crash and the Beauty Queen from Mars, Roller Coaster, Wanted Dead or Alive, Lay Your Hands on Me, Bad Medicine e a sempre aguardada Livin’ On A Prayer. Apesar de ouvir gritos para cantar Always, o hit foi descartado pela banda.

Terra invade Creators House Rock in Rio:

 

Fonte: ED
Publicidade
Publicidade