PUBLICIDADE

Guns e The Who protagonizam noite épica no Rock in Rio

Com muita empolgação e um repertório de clássicos, veteranos brilharam no penúltimo dia do festival

24 set 2017 09h23
| atualizado às 10h08
ver comentários
Publicidade

As definições de show foram atualizadas. Quem foi ao Rock in Rio nesse sábado na expectativa por grandes apresentações, não se decepcionou. Atrações mais esperadas da noite, Guns N’ Roses e The Who foram gigantes no Palco Mundo. A multidão vibrou a cada hit, cada performance dos grupos. Valendo também menção honrosa para a Incubus, que conseguiu cumprir a missão de tocar em uma noite marcada por clássicos mundiais do gênero.

Show do Guns N' Roses teve mais de 3h de duração e fechou o penúltimo dia do Rock in Rio
Show do Guns N' Roses teve mais de 3h de duração e fechou o penúltimo dia do Rock in Rio
Foto: Caroline Moura/Estácio

As bandas internacionais foram responsáveis por encerrar o penúltimo dia do festival, que teve a abertura dos Titãs. A primeira delas foi Incubus, que trouxe o rock alternativo ao line-up. É preciso considerar que o grupo teve dificuldades para empolgar o público, já que a espera era mesmo pelos veteranos da noite. Após início morno com Glitterbomb e Nimble Bastards, faixas do novo cd, Eight, vieram os hits Anna Molly e Wish You Were Here, que esquentaram a noite carioca. A aposta em cantar o refrão da música homônima do Pink Floyd se mostrou certeira.

Incubus teve a difícil missão de cantar em noite de veteranos e se saiu bem
Incubus teve a difícil missão de cantar em noite de veteranos e se saiu bem
Foto: Fernando Schlaepfer/I Hate Flash

O repertório de Brandon Boyd ainda contou com outros hits, dentre eles: Drive, Pardon Me, Stellar, Megalomaniac e Nice to know you.

Aí, foi a vez de o público ser brindado com uma apresentação digna de um dos grandes nomes da história do rock mundial. Penúltima atração da noite, The Who parecia estar disposta a tirar o atraso de 53 anos longe do Brasil, em sua turnê de estreia. A veterana banda esbanjou vitalidade, carisma, aliados a um setlist impecável, com clássicos da longeva carreira. Aos 72 anos, Pete Towshend, e Roger Daltrey, 73, foram monstros no Palco Mundo.

Donos da ***** Toda aprontam de tudo na Casa Fanta Guaraná:

A aposta foi em repetir a fórmula que deu certo no show em São Paulo. Os trabalhos foram abertos com I Can’t Explain, seguida por My Generation. Depois, grande parte das músicas eram dos principais álbuns do grupo, Tommy, Who’s Next e Quadrophenia: You Better You Bet, Behind Blue Eyes, Baba O’Riley e We Wont Get Fooled Again. Ao todo, o grupo cantou 19 músicas, em uma hora e quarenta minutos de show.

Com clássicos e muita empolgação, The Who deu um show digno da história da banda
Com clássicos e muita empolgação, The Who deu um show digno da história da banda
Foto: Eugênio Laurenzano/Estácio

Se a noite tivesse terminado com o grupo britânico, o público já deixaria a Cidade do Rock muito satisfeito. Mas tinha mais, muito mais para a já madrugada deste domingo. Ver o trio novamente junto, Axl Rose, Duff McKagan e Slash, seria motivo suficiente para tornar tudo aquilo especial, mas eles conseguiram deixar ainda melhor, na quarta participação do Guns N' Roses no festival.

Novamente juntos, Axl Rose, Duff McKagan e Slash não decepcionaram o público
Novamente juntos, Axl Rose, Duff McKagan e Slash não decepcionaram o público
Foto: Caroline Moura/Estácio

Pouco importou se faltou voz ao Axl em alguns momentos, alguns errinhos do Slash... Com mais de três horas de duração, a apresentação teve os já consagrados clássicos de uma das maiores bandas de rock do mundo: It’s So Easy, Mr. Brownstone, Sweet Child O’ Mine, Patience, November Rain, Welcome to the Jungle, Rocket Queen, You Could Be Mine, Civil War, dentre outros. Covers de Whole Lotta Rosie, AC/DC e The Who também mantiveram os espectadores animados. Para fechar, com Black Hole Sun, de Soundgarden, eles fizeram uma homenagem a Chris Cornell, que faleceu neste ano. 

 

Fonte: ED
Publicidade
Publicidade