0

Repórter critica Léo Lins por piada com voo da Chapecoense

'Definitivamente não é engraçado, cara', afirmou Pedro Rocha ao humorista do SBT

7 fev 2019
15h27
atualizado às 15h45
  • separator
  • comentários

O repórter da Globo Pedro Rocha, que é filho do apresentador Fernando Rocha, publicou um desabafo em seu Instagram na última quarta-feira, 6, e criticou uma piada feita pelo humorista Léo Lins, do The Noite, do SBT, envolvendo as vítimas do desastre aéreo da Chapecoense.

"Tava vendo aqui, o Léo Lins fez no show dele uma piada, brincando - se é que isso é uma brincadeira - com o jogador Daniel [asssassinado em Curitiba em 2018], que morreu, dizendo que ' pelo menos ele morreu comendo coisa boa, diferente dos jogadores da Chapecoense que morreram comendo comida de avião.'"

Em 2016, pouco antes da disputa da final da Copa Sul-Americana na Colômbia, um avião com a delegação da Chapecoense caiu, matando 77 pessoas entre jogadores, comissão técnica, dirigentes, jornalistas e tripulação. Apenas seis pessoas sobreviveram.

"Só de falar isso, dá um mal no estômago. E no show as pessoas fazem 'uau', porque ninguém acha graça nisso, sobretudo pra cá, a cidade, que vive esse drama há tanto tempo", continuou o jornalista.

Pedro ainda criticou outro comentário feito sobre o tema por Lins: "A última dele foi dizer que o 'pão que cai é chamado de pão da Chape', uma piada, sobretudo, sem graça nenhuma."

"É muito louco como algumas pessoas tem uma presunção de achar que algumas coisas são engraçadas só por serem absurdas. Não! Não é engraçado! Definitivamente não é engraçado, cara. Chapecó é uma cidade que sofre até hoje com esse acidente", desabafou.

Por fim, dirigiu-se diretamente ao humorista: "Léo Lins, você é um cara inteligente. Deve saber que brincar com a dor de um filho que perdeu o pai, de uma esposa que ficou sem seu marido é de, no mínimo, uma insensibilidade gigantesca".

A piada à qual o repórter se refere está disponibilizada em um trecho de um stand up publicado pelo próprio Léo Lins em 12 de novembro de 2018. "Contém piadas de humor negro. Se você não aprecisa esse tipo de humor, não assista", informa a descrição.

Em seu Instagram, o Léo Lins comparou sua piada a uma feita pela atriz Kéfera, em que uma montagem indica que o aplicativo Uber, no Rio de Janeiro, devido aos recentes temporais, estaria disponibilizando barcos.

"Me tirem algumas dúvidas: pode fazer piada com tragédia ou não? Tem algum número mínimo de mortos pra liberar as piadas?", escreveu o humorista.

Confira a publicação abaixo:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Me ajudem ai nessa pessoal...

Uma publicação compartilhada por Léo Lins (@leolins) em

À época da tragédia, Léo Lins usou suas redes sociais para homenagear a equipe. "A Chapecoense hoje é mais do que um time, é um simbolo e um ideal, e isso não morre nunca.", escreveu, ao lado das hashtags "Força Chape" e "Somos Todos Chapecoense".

Veja também:

Os resultados da tragédia Chapecoense

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade