3 eventos ao vivo

Naya Rivera surge em episódio de 'Sugar Rush', da Netflix

Norte-americana, de origem porto-riquenha, a atriz e cantora morreu no início de julho por afogamento, de forma acidental

3 ago 2020
15h52
atualizado às 16h29
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Morta no começo de julho, a atriz Naya Rivera, da série Glee, pode ser vista em um dos episódios da terceira temporada do programa de culinária Sugar Rush, da Netflix, que estreou na sexta, 31, no canal de streaming.

Naya Rivera surge em episódio do programa 'Sugar Rush', da Netflix
Naya Rivera surge em episódio do programa 'Sugar Rush', da Netflix
Foto: Reuters

Naya fez uma participação especial como jurada da atração, naquela que seria sua última aparição em um programa de TV. A inclusão do episódio com a atriz em cena foi disponibilizado com aval da família da atriz.

O programa Sugar Rush mostra a competição entre equipes, e a ganhadora será a mais rápida no preparo dos melhores doces.

Morte de Naya Ribera

A atriz da série Glee morreu em 8 de julho por afogamento, após desaparecer durante passeio de barco com o filho de quatro anos. Eles nadaram juntos e ela ainda consegiuiu colocar o garoto de volta no barco, mas não teve como se salvar.

Norte-americana, de origem porto-riquenha, a atriz e cantora começou a atuar ainda criança, quando, aos quatro anos participou da comédia da CBS The Royal Family, além de aparecer algumas vezes nas séries e fez participações especiais em vários shows, incluindo Um Maluco no Pedaço (The Fresh Prince of Bel-Air), Family Matters e Baywatch.

Mortes de outros atores de Glee

O elenco de Glee era formado por jovens atores, como era o caso de Naya Rivera. E, entre eles, dois outros astros teen também morreram cedo. Em 13 de julho de 2013, Cory Monteith, que interpretou Finn Hudson na série, foi encontrado morto em um quarto de hotel, e a causa da morte foi uma overdose de drogas. Ele tinha 31 anos. Alguns anos depois, Mark Salling, que interpretou Noah Puckerman, morreu em um aparente suicídio, em 2018, após ser considerado culpado por posse de pornografia infantil. Tinha 35 anos.

Veja também:

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade