PUBLICIDADE

Linda Evangelista, modelo dos anos 90, revela que ficou 'desfigurada' após procedimento estético

A canadense passou os últimos anos reclusa por causa das consequências da criolipólise

26 set 2021 15h34
ver comentários
Publicidade

Linda Evangelista, supermodelo dos anos 1990, revelou pela rede social nesta quarta-feira, 22, que esteve reclusa nos últimos cinco anos devido a complicações de um procedimento estético que a deixou "permanentemente desfigurada", segundo relatou.

A canadense realizou uma criolipólise, tratamento de emagrecimento que promete eliminar a gordura por congelamento.

"Desenvolvi hiperplasia adiposa paradoxal ou HAP, um risco que não conhecia antes de me submeter aos procedimentos", escreveu Linda no Instagram.

A criolipólise é um método de redução de gordura localizada onde as células de gordura são eliminadas por meio do resfriamento do local. Uma única aplicação pode eliminar até 30% da gordura no local aplicado, o procedimento pode ser realizado em diferentes partes do corpo como abdômen, costas, braços e culote.

Visto como uma opção para a cirurgia estética, o procedimento não impede o paciente de exercer qualquer atividade, retomando sua rotina no mesmo dia.

O procedimento faz parte dos tratamentos para 'contorno corporal'. Porém, existe o risco de um efeito colateral raro chamado hiperplasia adiposa paradoxal, que faz com que as células de gordura aumentem em vez de encolher, resultando em uma área de gordura localizada e endurecida.

A ex-modelo de 56 anos afirmou que vai processar a empresa que realizou a criolipólise, que "fez o contrário do que prometia", a deixando "permanentemente desfigurada mesmo depois de duas cirurgias corretivas dolorosas e sem sucesso".

Ela contou que ficou irreconhecível e se tornou reclusa. "A HAP não só destruiu meu sustento, mas me colocou em um ciclo de profunda depressão, tristeza e baixa autoestima", escreveu.

Evangelista disse que ficou sem trabalhar, "enquanto as carreiras das minhas colegas prosperaram". Nos comentários, as supermodelos que se tornaram famosas junto com ela nos anos 1990, mandaram mensagens de apoio.

"Linda, sua força e verdadeira essência são sempre reconhecíveis e icônicas! Bravo!", escreveu a americana Cindy Crawford. "Você é amada", afirmou Christy Turlington.

A supermodelo dinamarquesa Helena Christensen se emocionou com o depoimento de Linda. "Posso dizer honestamente que comecei a chorar lendo isso. Não só porque eu sabia em meu coração que você, de alguma forma, estava passando por algo profundamente pessoal e perturbador, mas também porque pensei em todas as cicatrizes que a vida deixa em todos os nós, sejam elas físicas ou emocionais e quanto tempo sofremos principalmente em silêncio e sozinhas. É tão importante e bonito quando alguém sai da sombra e é brutalmente honesto e real. Obrigada por ser bonita por dentro e por fora", escreveu Christensen.

Estadão
Publicidade
Publicidade