PUBLICIDADE

Jason Sudeikis aproveita "Ted Lasso" para apoiar jogadores vítimas de racismo

16 jul 2021 21h46
ver comentários
Publicidade
Foto: Instagram/Jason Sudeikis / Pipoca Moderna

Série mais premiada da Apple TV+, "Ted Lasso" acompanha um técnico de futebol americano nos bastidores fictícios de um time de futebol inglês. Mas se o personagem-título é completamente alienado em relação àquilo que ele chama de "soccer", seu intérprete, Jason Sudeikis, demonstrou estar muito atento aos meandros do esporte, ao desfilar no tapete vermelho da première da 2ª temporada da série com um traje bastante representativo.

No evento realizado no Pacific Design Center em Los Angeles, na noite de quinta (15/7), Sudeikis ostentou uma camisa preta com os nomes de três jogadores negros da seleção de futebol da Inglaterra que se tornaram alvo de uma campanha racista nas redes sociais, após a final da Eurocopa vencida pela Itália. Nesta sexta (16/7), ele reforçou a mensagem em seu Instagram. Veja abaixo.

Quando Bukayo Saka, Marcus Rashford e Jadon Sancho perderam seus pênaltis no domingo passado (11/7), durante a decisão, foram imediatamente inundados com insultos racistas nas redes sociais.

A camiseta de Sudeikis rendeu grande repercussão. E maior visibilidade ainda para "Ted Lasso", que na terça-feira (13/7) foi indicada para 20 prêmios Emmy, batendo o recorde de nomeações para um série estreante em todos os tempos. A 2ª temporada estreia na sexta que vem (23/7).

O caso de Saka, Rashford e Sancho se tornou um escândalo nacional no Reino Unido, após o Facebook permitir a multiplicação de ofensas, com emojis de macacos e bananas, no Instagram.

A repórter Cristina Criddle, que escreve sobre tecnologia para a BBC, usou o Twitter para expor a resposta que recebeu ao denunciar ataques racistas na página do jogador Bukayo Saka no Instagram. "Devido ao grande volume de denúncias que estamos recebendo, nosso time de revisão de denúncias não pode revisar a sua denúncia ainda. Contudo, nossa tecnologia detectou que este comentário provavelmente não fere as regras da comunidade", dizia o comunicado.

Na quarta, o chefe do Instagram, Adam Mosseri, foi a público assumir o erro da plataforma.

Um dos visados, o jovem Marcus Rashford, de apenas 21 anos, é considerado um ídolo nacional por liderar uma campanha para prover alimentos para as crianças durante o lockdown do coronavírus no Reino Unido.

A polícia inglesa já começou a agir e prendeu quatro pessoas por racismo na quinta-feira. Enquanto isso, o parlamento britânico debate como impedir que ataques semelhantes continuem acontecendo nas redes sociais.

Uma das propostas, sugerida pelo jogador do time inglês Arsenal e da seleção brasileira Willian Borges da Silva, é a obrigatoriedade da identificação documental dos usuários das plataformas. A ideia já apareceu em debates no Brasil e foi rechaçada por bolsonaristas.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade