PUBLICIDADE

O Caso Asunta: Conheça a história real que deu origem a série

Asunta Basterra foi encontrada morta em 2013 e até hoje seu caso segue sem uma solução definitiva.

8 mai 2024 - 18h52
Compartilhar
Exibir comentários
O Caso Asunta: A história real da série:

Após mais de 10 anos sem uma solução definitiva, o caso de Asunta Basterra, que foi encontrada sem vida pela polícia da Espanha em setembro de 2013, virou série da Netflix e rapidamente se tornou uma das produções mais assistidas do streaming.

Já faz algum tempo que a Netflix tem apostado bastante na adaptação de casos criminais e, ao que tudo indica, a tática tem funcionado.

Com seis episódios, a minissérie O Caso Asunta tenta reconstruir a trajetória da menina chinesa de 12 anos, Asunta Basterra, que foi adotada por Alfonso Basterra e Rosario Porto, um casal rico de Santiago de Compostela, que posteriormente foi acusado de matá-la.

Asunta foi adotada pelo casal quando tinha 1 ano de idade, e pouco tempo antes dela completar 13 anos, seus pais foram até a polícia prestar queixa pelo seu desaparecimento em 21 de setembro de 2013. Horas depois, durante a madrugada, a polícia encontrou o corpo de Asunta em uma estrada rural afastada a vários quilômetros ao sul da cidade onde eles moravam.

Os primeiros indícios de estranhamento vieram por que a menina não apresentava nenhum sinal de abuso, mas mesmo assim havia sido dopada e asfixiada. Em uma busca rápida, descobriu-se que o remédio com o qual ela foi dopada só era vendido na Espanha com receita médica, e rapidamente a polícia rastreou a compra diretamente até os pais de Asunta.

Asunta Basterra morreu em 21 de setembro de 2013, aos 12 anos
Asunta Basterra morreu em 21 de setembro de 2013, aos 12 anos
Foto: Reprodução/Redes Sociais / BBC News Brasil

As autoridades então retomaram os depoimentos dos pais, mas perceberam que cada um havia dado uma versão diferente do acontecido, o que junto com as suspeitas e os depoimentos de testemunhas, foi o bastante para acusá-los por homicídio.

O caso passou a ganhar holofotes e o julgamento virou um verdadeiro circo midiático, levando mais de 2 anos até o veredito final: depois de ouvir 84 testemunhas e 60 peritos, num caso complicadíssimo, com muitas perguntas e poucas respostas, o júri os condenou a 18 anos de prisão, cada um, por homicídio agravado por parentesco e abuso de autoridade.

Ambos continuaram insistindo que eram inocentes, e os peritos divergiam sobre a conclusão de que os dois eram culpados, já que havia mais evidências contra a mãe, Rosario, do que contra o pai, Alfonso. O caso só viria a ter ainda mais complexidades depois que Rosario foi encontrada morta na sua cela em 2020 após um aparente suicídio.

Sua morte também foi alvo de teorias de acobertamento da verdadeira motivação do crime, que até hoje nunca foi esclarecida, e que é justamente o que a série da Netflix, O Caso Asunta, tenta desvendar através de uma versão dramatizada dos fatos.

Fonte: Ygor Palopoli
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade