PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Dono do ouro e da prata, Maxwell Matias (@kief.m)

26 out 2023 - 13h58
Compartilhar
Exibir comentários

A AUR é um espaço democrático e, pensando nisso, abrimos um caminho para artistas que queiram expor seu trabalho, além de espaço para creators que queiram escrever pra gente. Abrindo esse novo lugar, recebemos o Maxwell Matias (@kief.m), fotógrafo e artista visual carioca, que atualmente vive em São Paulo. Nessa collab, ele vem falar de sua minha primeira exposição, Dono do Ouro e da Prata, disponível no Espaço Caboco, galeria independente em Pinheiros, São Paulo.

"Acompanho o trabalho da AUR a bastante tempo e cheguei aqui através da postagem no Instagram e gostaria de compartilhar meu trabalho com vocês. Não é especificamente um texto sobre um tema, e sim a sinopse dessa exposição que transita por algo muito comum no cotidiano brasileiro: a fé", explica. 

Dono do ouro e da prata

A fotografia de Maxwell Matias percorre caminhos do cotidiano, transportando cenas aparentemente comuns ou abjetas à sociedade, para uma perspectiva pautada pela busca de enxergar além do óbvio. Nessa jornada, o artista investiga aspectos culturais ligados às formas de expressão da fé no dia a dia.

Construindo sínteses visuais essencialmente latino-americanas, o artista produz uma fotografia marcada pelas sombras e destaque dos movimentos e formas, indo na contramão de uma estética limpa e complacente.

Foto: AUR

Em Dono do ouro e da prata, Maxwell investiga a forma sutil em que a fé se revela como um elemento cultural dentro do cotidiano brasileiro, sem estar necessariamente atrelada a uma prática religiosa. Com o intimismo e sensibilidade da fotografia analógica, o artista desdobra-se a partir da nossa relação com o sagrado e a esperança no divino para lidar com as dificuldades da realidade brasileira. Partindo desse lugar, tenta traduzir a fé em sua mais unânime compreensão: a capacidade de acreditar naquilo que não se vê.

Em "Rogai por nós", o Sagrado Coração de Maria ilumina a serralheria de um trabalhador. Uma ilustração da fé abrindo caminhos de auto-conforto e motivação. Um recurso para manter a força no corpo e na mente, para acreditar que o esforço do trabalho de fato vale a pena - porque Deus vai abençoar.

Tendo em vista que a fé individual é moldada a partir do ambiente, contexto sociocultural e educação parental, a série "Dono do ouro e prata" distancia-se de disciplinas religiosas e elucida a fé como um artifício inconsciente das pessoas para expressarem a própria existência dentro de um sistema incoerente como o brasileiro.

Na obra "Coroado com espinhos", o artista vê o retrato misericordioso de Cristo coroado com espinhos percorrendo linhas de identificação com os tempos atuais. O que nos leva à sua história e de muitos: um homem torturado e crucificado pelo ódio às suas origens, enquanto o magistrado do sistema político de sua época lava as mãos.

AUR
Compartilhar
Publicidade
Publicidade