PUBLICIDADE

Partículas de vírus da gripe aviária são achadas no leite nos EUA

EUA encontram partículas virais da gripe aviária H5N1 em amostras de leite cru; o leite pasteurizado ainda está em investigação, mas não há risco para humanos

24 abr 2024 - 13h21
(atualizado às 16h15)
Compartilhar
Exibir comentários

Nos Estados Unidos, a agência Food and Drug Administration (FDA) encontrou partículas do vírus da gripe aviária de alta patogenicidade (H5N1) em algumas amostras de leite cru. Em paralelo, há investigações em andamento analisando amostras de leite pasteurizado, vendidas no mercado. Apesar dos achados, o consenso é que o consumo da bebida é seguro, após o processo de pasteurização. 

Foto: SergioPhotone/Envato Elements / Canaltech

"Conforme observado pelo USDA e alguns relatórios da Organização Mundial da Saúde e de outras fontes, a presença do vírus [da gripe aviária H5N1] foi detectada no leite cru", afirma a FDA, em nota. No entanto, "é provável que a pasteurização inative o vírus", pontua a agência. 

Embora o processo de inativação torne o consumo do leite seguro, estes fragmentos virais ainda poderão ser encontrados nas amostras. A questão é que essas partículas não têm a capacidade de causar doenças, como revela a agência norte-americana.

Outra medida de proteção que visa manter o fornecimento de leite seguro no mercado é a destruição do leite obtido a partir de vacas contaminadas pelo vírus da gripe aviária — recentemente surtos foram identificados em fazendas de gado leiteiro no país.

Leite pasteurizado nos EUA

"Até à data, não vimos nada que pudesse alterar a nossa avaliação de que o fornecimento comercial de leite é seguro", reforça a FDA. Nos próximos dias, novos dados e resultados de estudos mais completos serão compartilhados, o que pode reforçar o entendimento (ou modificá-lo). 

Em especial, a agência destaca a importância da análise dos leites pasteurizados encontrados nas prateleiras dos supermercados — estas amostras são coletadas em diferentes pontos do país, independente de casos conhecidos de infecção de vacas pelo vírus da gripe aviária H5N1. 

Atualmente, não há preocupações sobre a segurança e disponibilidade de produtos lácteos pasteurizados, como os mais diversos tipos de queijo. 

EUA encontram partículas virais da gripe aviária H5N1 em amostras de leite cru, enquanto investiga o leite pasteurizado (Imagem: LightFieldStudios/Envato)
EUA encontram partículas virais da gripe aviária H5N1 em amostras de leite cru, enquanto investiga o leite pasteurizado (Imagem: LightFieldStudios/Envato)
Foto: Canaltech

Pasteurização do leite x gripe aviária

Para a proteção dos humanos em relação à gripe aviária, a FDA reforça a necessidade de consumir apenas leite que passou pelo processo de pasteurização, adotado há mais de 100 anos.

"A pasteurização é um processo que mata bactérias e vírus nocivos, aquecendo o leite a uma temperatura específica, por um determinado período de tempo, para torná-lo mais seguro", detalha a FDA.

"Mesmo que o vírus seja detectado no leite cru, espera-se que a pasteurização elimine os agentes patogénicos a um nível que não represente um risco para a saúde do consumidor", complementa a agência. Entretanto, o material genético residual de patógenos mortos pelo calor ainda podem ser encontrados na análise.

Gripe aviária em humanos

Vale destacar que, neste mês de abril, as autoridades de saúde dos EUA confirmaram a primeira infecção da gripe aviária H5N1 em um homem que trabalhava com a criação de gado leiteiro. O paciente se recuperou bem, mas a infecção é potencialmente perigosa e letal.

Nos últimos dias, a OMS alertou para o risco do avanço dos casos de gripe aviária em aves e mamíferos, o que pode fazer com que o vírus acumule mutações e consiga infectar humanos de forma melhorada. Se isso acontecer, o patógeno pode se tornar um grave risco à saúde pública.

Fonte: Reuters e FDA  

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade