PUBLICIDADE

Destruir um asteroide a caminho da Terra é possível, sugere estudo

Em um novo estudo, pesquisadores propõem que um foguete preparado previamente poderia ser lançado para pulverizar asteroides perigosos a caminho da Terra

31 out 2023 - 12h52
(atualizado às 16h22)
Compartilhar
Exibir comentários

Se um asteroide com 60 metros de diâmetro fosse descoberto poucos dias antes de atingir a Terra, o impacto poderia ser evitado? Para descobrir, pesquisadores analisaram se seria possível pulverizar um asteroide semelhante ao 2023 NT1, descoberto poucos dias depois de passar por nosso planeta, e os resultados foram positivos.

Foto: urikyo33/Pixabay / Canaltech

O asteroide 2023 NT1 tem diâmetro de 30 a 60 metros, e ficou mais perto da Terra do que a Lua durante sua passagem, detectada somente dois dias depois de acontecer. Apesar de a distância ser considerada curta em termos astronômicos, não havia risco de a rocha espacial atingir nosso planeta.

Mas por quê o asteroide não foi encontrado antes? A resposta está na direção de onde veio: a rocha espacial 2023 NT1 se aproximou de nós vindo da direção do Sol, ou seja, estava em uma espécie de ponto cego para telescópios.

Mas, se o impacto tivesse acontecido, ele provavelmente criaria uma explosão três vezes maior que aquela causada pelo meteoro que explodiu em Chelyabinsk, na Rússia, em 2013. Assim, a aproximação deste objeto mostra como asteroides de tamanho considerável ainda podem passar despercebidos — e mostra também como é necessário estarmos preparados, caso algum objeto perigoso seja descoberto.

Como destruir um asteroide

No estudo, os autores analisaram a possibilidade de pulverizar um asteroide semelhante ao 2023 NT1. Pode até parecer que a ideia veio de algum filme de ficção científica, mas tenha em mente que, para a rocha espacial ser desviada, seria necessário executar o procedimento com muita antecedência.

Portanto, eles investigaram se seria possível lançar alguma forma de defesa em tempo hábil, e se tal método seria suficiente para fragmentar o asteroide em pedaços pequenos o suficiente para serem inofensivos. Felizmente, a resposta de ambas as perguntas parece ser positiva.

Esquema que ilustra o método de pulverização do asteroide; o foguete lançaria vários penetradores cinéticos, que iriam romper o asteroide em pedaços menores (Imagem: Reprodução/Cohen & Cohen - UCSB/CC 4.0)
Esquema que ilustra o método de pulverização do asteroide; o foguete lançaria vários penetradores cinéticos, que iriam romper o asteroide em pedaços menores (Imagem: Reprodução/Cohen & Cohen - UCSB/CC 4.0)
Foto: Canaltech

Segundo os autores, as tecnologias de lançamentos atuais permitiriam enviar ao espaço um foguete de defesa em apenas um dia — contanto que o veículo já estivesse preparado. O foguete iria liberar uma nuvem de impactadores a alta velocidade em direção ao asteroide, que iria quebrá-lo em pedaços de até 10 metros de diâmetros.

As simulações executadas mostraram que o método seria efetivo para destruir um asteroide de densidade e composição típicas, gerando detritos de baixo risco para nós. Entretanto, os autores observam que não há foguetes do tipo preparados para serem lançados a qualquer momento e nem um sistema de impactador para esse objetivo.

O artigo com os resultados foi publicado no repositório arXiv, sem revisão de pares.

Fonte: arXiv; Via: Universe Today

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade