PUBLICIDADE

China terá hospital operado só por IA pronto ainda em 2024

Esse hospital de IA poderá oferecer serviços de telemedicina online

7 jun 2024 - 06h15
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Os pesquisadores da Universidade de Tsinghua em Pequim desenvolveram um hospital totalmente operado por inteligência artificial que deve estar pronto para funcionar já no segundo semestre de 2024. O projeto deve oferecer serviços online e ter médicos de AI que podem atender a até 10 mil pacientes em questão de dias.
Foto: Copilot AI

Considerando o histórico da China na medicina, faz todo sentido que eles estejam tão avançados no uso de IA na saúde. Já no século 20, o programa dos "médicos de pés descalços" conseguiu levar prevenção e tratamento para milhões e milhões de chineses antes desatendidos, sempre com foco nos problemas de saúde mais comuns.

Mas agora os pesquisadores da Universidade de Tsinghua em Pequim estão indo bem além, com o desenvolvimento de um hospital totalmente operado por inteligência artificial. E ele deve estar pronto para funcionar já no segundo semestre de 2024!

O projeto, batizado de "Agent Hospital", é liderado pelo pesquisador Liu Yang e já passou por 6 meses de pesquisas e testes. Os médicos de IA conseguem atender até 10 mil pacientes em questão de dias, enquanto os médicos humanos levariam pelo menos 2 anos para atingir o mesmo número.

Nos testes realizados, esses "agentes médicos" movidos por IA demonstraram uma precisão impressionante de 93,06% no banco de dados MedQA, que é baseado nas questões do exame de licenciamento médico dos EUA.

Foi feita uma simulação de todo o processo, desde a consulta inicial ao diagnóstico, tratamento e até o acompanhamento pós-tratamento. A configuração inicial será de 14 médicos de IA e 4 enfermeiros virtuais. Os 14 médicos vão cuidar do diagnóstico e elaboração dos planos de tratamento, enquanto os enfermeiros darão o suporte diário aos pacientes. 

Além disso, essa estrutura permitirá que estudantes de medicina tenham a oportunidade de treinar na prática, sem correr o risco de prejudicar pacientes reais. Segundo Liu, isso vai formar "médicos altamente qualificados".

Esse hospital de IA poderá oferecer serviços de telemedicina online, atendendo milhares ou escalando para até milhões de casos.

Não sei se eu confiaria em um "agente médico" para um caso mais complicado. Mas tenho certeza de que para a maior parte dos nossos problemas corriqueiros de saúde, as IAs darão conta. Sem fila e com precisão. E se não for esse ano mesmo na China, será logo mais - e em todo o mundo.

(*) Alex Winetzki é CEO da Woopi e diretor de P&D do Grupo Stefanini, de soluções digitais.

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade