Meloni e outros líderes ocidentais vão a Kiev para reunião do G7

Data marca segundo aniversário de conflito com Rússia

24 fev 2024 - 09h39
(atualizado às 12h36)

- A primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, foi a Kiev neste sábado (24), data que marca o segundo aniversário do conflito entre Rússia e Ucrânia, onde presidirá uma reunião de líderes do G7 por videoconferência.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, participará. Também foram à cidade a presidente do Poder Executivo da União Europeia, Ursula von der Leyen; o premiê da Bélgica, Alexander De Croo, presidente rotativo do Conselho da UE; e o premiê canadense, Justin Trudeau.

Publicidade

Antes da reunião, os líderes ocidentais participam de uma cerimônia no Aeroporto Internacional Antonov de Hostomel, perto de Kiev, para a entrega de honrarias militares a soldados sobreviventes da batalha de Hostomel. No episódio, no início da guerra, as forças aéreas da Rússia atacaram o aeroporto.

Em entrevista ao Giornale, a premiê italiana falou sobre as mensagens que o G7 deseja passar: ?Não convém a ninguém, principalmente a nós europeus, um mundo onde reine o caos e não a força do direito. O desejo de paz de nossos cidadãos é sagrado, e eu entendo perfeitamente isso. A guerra na Ucrânia diz respeito a todos e nos afeta diretamente, não apenas do ponto de vista humano, mas ainda mais do ponto de vista geopolítico e de segurança", disse.

Para ela, o fim da guerra "e a construção de uma paz justa e duradoura são os  objetivos. E devemos gastar toda a energia nessa direção. Mas Putin só pode ser convencido a se sentar à mesa de negociações se o equilíbrio de forças em campo for garantido. E isso só pode ser assegurado se a Itália, a Europa e o Ocidente continuarem a ajudar a Ucrânia".

Além da Itália, o G7 inclui Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Japão e Reino Unido.

Publicidade

Chanceleres

?No segundo aniversário da invasão russa em larga escala à Ucrânia, os ministros das Relações Exteriores do G7 expressam seu pleno apoio a Kiev para atingir uma paz justa e duradoura por todo o tempo necessário?.

A declaração foi dada pelo Ministério das Relações Exteriores italiano, com um vídeo dos chanceleres do grupo, confirmando o apoio.

Acordo bilateral

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, anunciou a assinatura de um acordo de cooperação em segurança com a Itália.

?Nossos encontros com Giorgia Meloni são sempre significativos. Este documento estabelece uma base sólida para a parceria de segurança de longo prazo entre nossos países?, disse Zelensky.

Publicidade

?Também discutimos um apoio adicional à Ucrânia no contexto da presidência italiana do G7. Sou grato à Itália pelo apoio à Ucrânia?, concluiu.

Meloni informou que o acordo terá duração de 10 anos.

?É o mais completo e importante firmado com um país fora da Otan. Continuamos apoiando a Ucrânia no que sempre considerei o justo direito de seu povo a defender-se. Isso pressupõe necessariamente também o apoio militar, porque confundir a tão levantada palavra ?paz? com a rendição, como alguns fazem, é uma abordagem hipócrita que não compartilhamos?, disse, sem acrescentar detalhes sobre o empenho econômico para a Itália.

 .

  
Curtiu? Fique por dentro das principais notícias através do nosso ZAP
Inscreva-se