Sem internet e redes sociais: entenda a tendência de "celulares menos inteligentes"

Usuários estão buscando alternativas para manterem um meio de comunicação sem tantos estímulos visuais e sonoros

27 mai 2024 - 16h54
(atualizado às 16h59)
No total, 5 mil "celulares chatos" serão distribuídos pela Heineken
No total, 5 mil "celulares chatos" serão distribuídos pela Heineken
Foto: Divulgação/Heineken

Um celular sem redes sociais, sem conexão com a internet, GPS, acesso aos seus streamings favoritos… Já imaginou? Este era o cenário há alguns anos, quando os celulares eram apenas celulares, e não smartphones super completos como os que temos hoje em dia.

Algumas pessoas, no entanto, estão se cansando do aparelho e buscando alternativas para terem um meio de comunicação, porém, sem a pressão de estar conectado o tempo todo.

Publicidade

O youtuber Jose Briones publica conteúdos na web sobre "minimalismo digital". O influencer faz reviews sobre celulares antigos para ajudar as pessoas a encontrarem o modelo ideal.

O Nokia "tijoão" e os celulares flips dos anos 1990 estão entre as opções. Chamados de "dumbphones" (ou telefones burros, em oposição aos smartphones), estes aparelhos chamam a atenção de uma pequena parcela de consumidores que quer viver menos tempo conectado.

Segundo reportagem da BBC, dados de agosto de 2023 da Counterpoint Research mostram que os feature phones (ou telefone básico inteligente) - um tipo de dumbphone básico com capacidades reduzidas - compõem 2% do mercado de celulares nos Estados Unidos.

Apesar de ser uma pequena fração, o número mostra que são muitos celulares "menos inteligentes". 

Publicidade

A Counterpoint estimou que as vendas de feature phones nos EUA chegariam a 2,8 milhões até o final do ano.

Lançamento do "Boring Phone" visa distanciamento das redes sociais
Foto: Divulgação/Heineken

"Os feature phones permanecem consistentes nos EUA, pois seu design simples, acessibilidade e resistência ainda atendem a públicos específicos. Embora não haja um aumento significativo no mercado de feature phones, existem necessidades constantes que criam uma demanda estável para esses aparelhos em um mercado dominado pelos smartphones", disse a Counterpoint à BBC. 

Ainda conforme reportagem, o Statista Market Insights diz que o mercado global total de feature phones deve gerar uma receita de US$ 10,6 bilhões (R$ 54 bilhões) este ano.

Este ano, uma ação da Heineken buscou resgatar os modelos de antigamente. Batizado de "The Boring Phone", o que na tradução para português seria "telefone chato ou entediante", esse aparelho visa fazer com que as pessoas não mergulhem no universo das redes sociais enquanto usam o telefone.

O aparelho tem as funções básicas e lembra os tijolões que usávamos há cerca de 20 anos. No entanto, esta é uma edição limitada e terá apenas 5 mil modelos disponíveis. 

Publicidade

Dentre as características do aparelho entediantes, a empresa destaca:

  • Passa em todos os testes de quedas inesperadas;
  • Dura até o pós-festa;
  • Design transparente;
  • Discagem rápida;
  • Modelo flip.
Fonte: Redação Byte
TAGS
É fã de ciência e tecnologia? Acompanhe as notícias do Byte!
Ativar notificações