PUBLICIDADE

Tony Ramos está 'lúcido e sem auxílio de aparelhos', diz boletim médico

Artista precisou ser internado e foi submetido a uma cirurgia para estancar sangramento nesta quinta-feira, 16

17 mai 2024 - 13h38
(atualizado às 21h37)
Compartilhar
Exibir comentários
Tony Ramos passa por cirurgia para estancar sangramento no Rio:

O ator Tony Ramos, de 75 anos, respira sem auxílio de aparelhos, está lúcido e seu estado de saúde é estável, segundo boletim médico divulgado pelo Hospital Samaritano Botafogo, no Rio de Janeiro, na tarde desta sexta-feira, 17.

Nesta quinta-feira, 16, o artista precisou ser internado e foi submetido a uma cirurgia de drenagem de hematoma subdural --sangramento intracraniano--  pela equipe do médico Paulo Niemeyer. 

De acordo com o boletim atualizado pelo hospital, o ator realizou uma nova tomografia de crânio nesta manhã que mostrou significativa melhora. 

Tony Ramos
Tony Ramos
Foto: Daniel Teixeira/Estadão / Estadão

Hematoma subdural

Em entrevista ao Terra Você, o neurocirurgião Victor Hugo Espíndola explicou que existem dois tipos desse sangramento que se localiza abaixo da dura máter, que é uma das membranas que recobrem o cérebro: o agudo e o crônico.

O hematoma subdural agudo normalmente é consequente a traumas de um impacto maior, como acidente de carro, queda de moto ou queda de altura. Já o hematoma subdural crônico vai crescendo aos poucos e pode acontecer mesmo em situações de um trauma de baixo impacto.

O médico conta que o hematoma subdural crônico é mais comum em idosos, e em pessoas que fazem uso de medicações anticoagulantes ou antiagregantes e alcoólatras.

“Provavelmente deve ter sido o caso do Tony Ramos, a gente pode ter desde dor de cabeça até um quadro mais intenso que pode levar a perda de força de um lado do corpo, sonolência e, se não for tratado, até mesmo coma”, diz o especialista.

Pode deixar alguma sequela?

O neurocirugião Felipe Mendes diz que pode haver o risco de algumas sequelas em casos de hematoma subdural. Entre elas:

  • Dificuldades motoras;
  • Problemas de fala;
  • Alteração de memória;
  • Mudanças de personalidade e outras disfunções cognitivas.

“A gravidade das sequelas geralmente está relacionada ao tamanho do hematoma, à rapidez e à eficácia do tratamento, além da presença de danos cerebrais subjacentes”, ressalta o especialista.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade