0

Carnaval de Manaus leva 120 mil pessoas ao sambódromo

22 fev 2009
11h45
atualizado às 13h12

Arnoldo Santos

Direto de Manaus




Depois de uma semana tensa, marcada pela indefinição de datas, horários e sequência de apresentações, agravada ainda por uma disputa judicial entre as agremiações, as escolas de samba do grupo especial fizeram seu desfile no centro de convenções de Manaus, o sambódromo. Pela estimativa da polícia militar, 120 mil pessoas lotaram as arquibancadas do sambódromo para ver os desfiles.

Oito escolas fazem parte do grupo Especial
Oito escolas fazem parte do grupo Especial
Foto: Arnoldo Souza / Especial para Terra

» Veja fotos do Carnaval em Manaus
» vc repórter: mande fotos e relatos do Carnaval em sua cidade

A festa começou por volta das 18h de ontem e só terminou às 6h30 deste domingo. Oito escolas fazem parte do grupo Especial (duas a mais eram convidadas). Os enredos foram diversos e encheram o sambódromo de cores e formas de interpretação. Começando pela Balaku-Blaku que levou o enredo Nem Ouro nem Prata, o Eldorado existe e é verde - Amazônia, que contou a história da lenda de Akator, a cidade construída toda em ouro, sonho que levou diversos aventureiros à morte.

O sobrenatural comandou o enredo da Unidos do Alvorada. A escola desenvolveu o tema De Exu a Oxalá,com as bênçãos do criador, tudo pode mudar, uma alusão ao sincretismo religioso brasileiro. A comissão de frente representava Exu, a figura do candomblé que "quebra as correntes e abre os caminhos", como definiu Antônio Aleixo, um dos coreógrafos da escola. A chuva caiu desde do início do desfile até por volta da meia-noite, mas não tirou a animação dos presentes no sambódromo.

A escola Sem Compromisso falou de romantismo e paixão no enredo Amor - a quanto obrigas, mas se não viver, como sabê-lo?, de autoria do presidente da escola, Getúlio Lobo e do poeta amazonense, Aníbal Bessa. A comissão de frente trouxe um casal de bailarinos representando Adão e Eva, acompanhados de anjos. Os bailarinos Camila Barbosa e Branco Netro executaram na passarela do samba passos típicos do balé. "Pra falar de amor provamos que clássico combina sim com o popular", disse Branco Neto ao sair da pista, emocionado.

A escola Reino Unido, representante do bairro Morro da Liberdade, localizado na zona Sul de Manaus, apresentou o enredo O Centenário dos Aprendizes Artifices, no Reino do Saber... Do Samba... E da Alegria, homenagem aos 100 anos do Cefet (Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas), antiga escola técnica federal. A pesquisa de novas tencnologias foi retratada em um grande carro alegórico construído em forma de engrenagens.

Uma viagem pelo extremo Norte do Brasil foi a proposta da escola Mocidade Independente de Presidente Vargas. A escola levou à avenida o enredo Roraima do extremo norte do País. "É uma emoção muito grande ver minha terra sendo homenageada. Por isso eu vim torcer pela Presidente Vargas", disse o administrador Paulo Ferreira, natural de Boa Vista (RR), que levou a mulher e a filha para o sambódromo.

A escola Vitória Régia, do tradicional bairro da Praça 14, também falou de Roraima, mas na figura do ex-governador do Estado, Ottomar Pinto. O enredo Ottomar, do nordeste decolou, no coração de Roraima pousou empolgou a torcida pelas paradas da bateria no meio da pista.

A escola de samba Mocidade Independente de Aparecida foi a penúltima do grupo especial a entrar no sambódromo por volta das 4h10. Por ser uma das mais tradicionais do Carnaval de Manaus tinha uma das maiores torcidas nas arquibancadas. O enredo Por mares dantes navegados aludiu a pirataria feita de todas as formas. O carro abre alas mostrava um polvo gigante envolvendo um veleiro. Um dos destaques eram os componentes fantasiados de seres marinhos que estavam com enfeites de cabeça feitos de copos plásticos reciclados.

A escola A Grande Família, representante da zona leste da cidade, fechou o desfile do grupo especial. O enredo Venezuela: de Bolivar, o libertador, ao petróleo que move o mundo homenageou o país vizinho com os seus principais aspectos, da cultura à política. Uma tartaruga gigante mostrou a fauna marinha do litoral venezuelano, uma das riquezas naturais daquele país. Várias bandeiras da Venezuela deram um colorido a mais às arquibancadas.

O resultado do Carnaval das escolas de samba de Manaus será divulgado nesta quarta-feira pela Associação do Grupo Especial das Escolas de Samba de Manaus (Ageesma).

Fonte: Especial para Terra
publicidade