PUBLICIDADE

Site lista as 10 atrações mais bizarras da Europa

Catacumbas, esqueletos e até um labirinto subterrâneo estão entre os passeios turísticos pouco convencionais listados pelo site USA Today

18 jun 2013 15h14
| atualizado às 15h19
ver comentários
Publicidade

Não vale a pena perder o precioso tempo de uma viagem para a Europa em filas intermináveis de atrações manjadas. Fuja das multidões e viva experiências surpreendentes nas atrações turísticas mais bizarras da Europa sugeridas pelo site USA Today.

Gruselkabinett, Berlim, Alemanha: antigo refúgio durante a Segunda Guerra Mundial, o Gruselkabinett deixou o ambiente ainda mais macabro em seus três níveis. No andar de cima, uma “casa mal-assombrada” tem atores que saem de todos os cantos assustando os visitantes. O térreo expõe manequins sinistros que reproduzem amputações e tratamentos médicos praticados na guerra. O porão é o menos assustador e o mais pedagógico, com exposições que mostram como era o bunker durante a época dos combates.

Old Operating Theatre Museum And Herb Garret, Londres, Inglaterra: situado no ático de uma igreja, numa antiga sala de operações do século 19, o Old Operating Theater era usado como local para que cirurgiões mostrassem seus procedimentos médicos aos alunos. A sala foi restaurada com equipamentos e móveis de época, e mostra hoje como eram as operações nessa época quando não existia anestesia.

Peristal Singum, Berlim, Alemanha: metade exibição de arte, metade labirinto subterrâneo, o Peristal Singum é assustador e deixa  visitantes desorientados e assustados.  As pessoas entram sozinhas no labirinto, onde ficam totalmente perdidas, já que não há placas nem funcionários que indiquem o caminho ou escutem os pedidos de ajuda.

Museu do Crime Medieval, Rothenburg Ob Der Tauber, Alemanha: o Museu do Crime Medieval de Rothenurg Ob Der Tauber mostra a violência que existia na época. Instrumentos de tortura e de execução, e objetos que serviam em humilhações públicas fazem  parte da exibição permanente.

Kunstkamera, São Petersburgo, Rússia: inaugurado em 1727 em São Petersburgo, o Kuntskamera foi o primeiro museu da Rússia. Na época, o museu tinha mais de 200 mil peças, numa coleção de estranhezas humanas, com fetos deformados, criaturas com duas cabeças, e até uma cabeça humana preservada no vinagre. Hoje, o número de objetos é menor, mas muitos dos vestígios originais ainda estão expostos, como extremidades em formol e esqueletos de siameses.  

Catacumbas dos Monges Capuchin, Palermo, Itália: situada na ilha da Sicília, a cidade de Palermo tem uma das atrações mais macabras da Europa. As Catacumbas dos Monges Capuchin têm em seus corredores  mais de 8 mil corpos embalsamados de monges  e pessoas comuns, alguns deles em perfeito estado de conservação como o de Rosalia Lombardo, que faleceu em 1920 e cujo corpo foi encontrado em 1995.

Edinburgh Vaults, Edimburgo, Escócia: as Edinburgh Vaults são uma série de câmaras formadas nos dezenove arcos da ponte de South Bridge, terminada em 1788. Durante anos, as câmaras foram usadas para guardar coisas diversas como materiais ilícitos, incluindo os corpos de vítimas de assassinos seriais, o que valeu ao lugar a fama de  mal-assombrado.

Galerias de Paleontologia e Anatomia Comparativa, Paris, França: milhares de esqueletos esperam os visitantes nas galerias do Museu Nacional de História da França, situado em Paris. Além de ossos de baleias gigantes e mastodontes, adultos e crianças encontram órgãos de animais preservados para serem analisados com curiosidade.

Dennis Severs’House, Londres, Inglaterra: a casa conhecida como Dennis Sever’s House foi projetada como um museu onde os visitantes sentem a presença dos “habitantes”. Cada um dos dez quartos da casa, construída em 1724, recriam o que teria sido viver no local nos séculos 18, 19 e começo de século 20.

<p>Nomeado em homenagem ao último álbum de Jimi Hendrix, o Museu de Arte Fluorescente Ladyland é uma curiosa atração da capital holandesa</p>
Nomeado em homenagem ao último álbum de Jimi Hendrix, o Museu de Arte Fluorescente Ladyland é uma curiosa atração da capital holandesa
Foto: Flickr
Electric Ladyland: Museu de Arte Fluorescente, Amsterdã, Holanda: nomeado em homenagem ao último álbum de Jimi Hendrix, o Museu de Arte Fluorescente Ladyland é uma curiosa atração da capital holandesa. O museu mostra todo tipo de objetos fluorescentes, desde pedras a minerais a obras de arte, iluminados por lâmpadas ultravioletas, criando um ambiente muito especial. 

Fonte: Andrés Bruzzone Comunicação Andrés Bruzzone Comunicação
Publicidade
Publicidade