PUBLICIDADE

Zolpidem: tudo sobre o remédio indutor do sono

Médicos comentam sobre para que serve e os efeitos colaterais desse medicamento indutor do sono

24 mai 2024 - 19h30
(atualizado em 21/6/2024 às 22h55)
Compartilhar
Exibir comentários

O zolpidem (hemitartarato de zolpidem) é um medicamento que faz parte da classe dos hipnóticos e que é indicado para a indução do sono, sendo prescrito pelos médicos para casos de pessoas que sofrem com dificuldades para dormir. Ele age no sistema nervoso central e tem uma ação rápida. Entenda mais a seguir!

Saiba mais sobre o zolpidem |
Saiba mais sobre o zolpidem |
Foto: freepik/Freepik / Boa Forma

Para que serve o zolpidem?

"É uma substância que induz o sono em torno de 15 minutos e que reduz os despertares durante a noite. No dia seguinte, o paciente acorda sem aquela sensação de ressaca", explica o Dr. Gustavo Teixeira, psiquiatra e sócio-diretor do Grupo Primum Educacional.

Esse fármaco pode ser encontrado em comprimidos ou na versão sublingual, que é absorvida mais rapidamente pela corrente sanguínea e, dessa forma, promove um efeito ainda mais rápido.

"O zolpidem tem meia vida curta no organismo, durando, em média 3 horas. Ele nunca deve ser misturado com bebidas alcoólicas e, além disso, é crucial mencionar que o ideal é tomá-lo por períodos curtos ", conta a Dra. Vanessa Greghi, psiquiatra e diretora médica do Instituto de Psiquiatria Paulista (IPP).

Segundo Greghi, o remédio pode contribuir para o alívio da insônia, porém, é preciso investigar e tratar a causa subjacente desse sintoma, que, inclusive, pode estar relacionado a diversos transtornos mentais, por exemplo, ansiedade. depressão e TDAH.

"O zolpidem só é indicado em pacientes muito bem avaliados por um médico. É fundamental analisar o perfil da pessoa, os riscos e ver se esse medicamento realmente é uma boa opção para o momento de vida daquela pessoa, ou seja, se tem risco de depressão respiratória ou de uso abusivo", alerta a psiquiatra.

Efeitos colaterais do zolpidem

Os efeitos colaterais mais comuns do zolpidem são:

  • Sonolência diurna;
  • Cefaleia leve a moderada;
  • Diarreia;
  • Náusea;
  • Boca seca;
  • Tontura.

"Se o zolpidem não induzir o estado na hora, o paciente pode ficar em um estado sonâmbulo, podendo se colocar em situações de risco. Por isso, as orientações médicas devem ser seguidas rigorosamente e o remédio só pode ser tomado quando você já estiver deitado na cama e sem a necessidade de ter que levantar posteriormente. Não pode tomar e, depois, ir comer, escovar os dentes ou desempenhar qualquer outra atividade", revela a psiquiatra.

Para quem ele é contraindicado?

O Dr. Gustavo aponta que o zolpidem é contraindicado para quem tem alergia ao medicamento, síndrome de apneia do sono, doenças autoimunes, que podem desencadear fraqueza muscular e insuficiência hepática grave.

" Grávidas e lactantes também devem evitar esse remédio", completa o especialista. Vale ressaltar que o zolpidem não pode ser administrado em pessoas menores de 18 anos.

Zolpidem causa dependência?

O zolpidem tem potencial de causar dependência química e psicológica. "Apesar de ser considerado bastante seguro, esse fármaco só pode ser usado a partir da supervisão médica, sempre respeitando as orientações de uso", enfatiza o Dr. Gustavo.

Não necessariamente o indivíduo que tomar zolpidem vai desenvolver a dependência, mas existe sim o risco. "Quando o paciente começa a usar doses maiores do que foi recomendado pelo médico, ele pode acabar ficando dependente do fármaco. E essa é uma substância que dá tolerância, ou seja, o organismo passa a precisar de uma dose cada vez maior para aparecer o efeito", aponta a Dra. Vanessa.

"Outro tipo de dependência preocupante é a dependência psicológica, porque o paciente se habitua com esse poder de induzir imediatamente seu sono e desacostuma a ter um sono de uma forma orgânica", completa ela. 

"Atenção"

Quem se automedica corre o risco de sérias complicações à saúde.

Boa Forma
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade