PUBLICIDADE

Transtorno de Aprendizagem: O que é, como identificar e tratar

Os primeiros sinais surgem na infância e requer uma equipe de apoio

27 mai 2021 17h47
| atualizado às 17h50
ver comentários
Publicidade
Tratamento requer apoio de diversos profissionais
Tratamento requer apoio de diversos profissionais
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

O transtorno de aprendizagem é uma disfunção que acontece geralmente na infância, quando a criança apresenta dificuldades em graus elevados durante o aprendizado escolar. Esse distúrbio é causados pela má conectividade de algumas áreas neurológicas no processamento da leitura, escrita e cálculo.

Para entender melhor o assunto, o SD conversou com a Luciana Brites, CEO do Instituto NeuroSaber e psicopedagoga.

Em que momento é descoberto?

"Por se tratar de um transtorno do neurodesenvolvimento, é categorizado dentro do Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM 5) na categoria dos transtornos do neurodesenvolvimento".

"Os primeiros sinais aparecem nos primeiros anos de vida da criança. Os sintomas podem ser vários, durante o desenvolvimento, os mais comuns são: atraso de fala ou coordenação motora, que são considerados possíveis transtornos".

"O diagnóstico é fechado depois do ensino escolar, durante os 8 anos. Em seguida o tratamento é feito de forma multidisciplinar".

"Tem que passar por médico, psicólogo, fonoaudiólogo, psicopedagogo, terapeuta ocupacional. Ele não é um diagnóstico simples e nem fácil, exige muito estudo para entender essa questão dos transtornos e também não é feito através de exames, como ressonância, exame de sangue, eletro, isso não faz o diagnóstico de transtorno de aprendizagem. Ele é um transtorno que o diagnóstico é clínico, por meio de observação, testes, relatórios", explica Luciana Brites.

Qual o tratamento?

Geralmente é feito acompanhamento com fonoaudiólogos, psicólogos e psicopedagogo. Tudo varia de acordo com a dimensão da área que o transtorno afeta o indivíduo.  

"Não há uma cura completa, porque ele é um quadro disfuncional. Mas existe muita melhora no desenvolvimento. Outro sinal importantes é que a criança não apresenta perda cognitiva, são crianças inteligentes, mas na hora de aprender a calcular, ler ou escrever sente dificuldade",  finaliza Luciana Brites.

Consultoria: Luciana Brites, CEO do Instituto NeuroSaber e psicopedagoga.

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade