PUBLICIDADE

Tendências da cirurgia plástica em 2024: Chega de shape Bob Esponja!

Novas tecnologias, práticas e terapias integrativas auxiliam no pré, trans e pós-operatórios e garantem resultados melhores

16 jan 2024 - 06h40
Compartilhar
Exibir comentários
Tendências da cirurgia plástica em 2024: Chega de shape Bob Esponja!:

A cirurgia plástica é uma das especialidades médicas que mais apresentam avanços e tendências e estar atualizado deve ser o ponto de partida dos profissionais que prezam por procedimentos menos invasivos, com o mínimo de impacto para o corpo e menor tempo de recuperação.

Escolher um médico qualificado, experiente e que esteja ciente das inovações em sua área é fundamental, mas estar bem informado também ajuda o paciente a avaliar a credibilidade tanto dos profissionais quanto das clínicas para tomar decisões mais alinhadas às suas expectativas e minimizar os riscos associados.

O cirurgião plástico Ícaro Samuel, fundador do Instituto Plástica Academy e autor do livro "Ame-se! Você em primeiro lugar", lista o que ganha força na cirurgia plástica em 2024:

Remodelação costal

"Está liberado ser Bob Esponja Calça Quadrada, mas quem se identifica mais com a Barbie – ou com o Ken – no quesito cintura já tem como resolver isso. Apesar de simples, a cirurgia é um pouco mais invasiva e realizada através de micropontos que remodelam e afinam as costelas de número 10, 11 e 12, trazendo resultados incríveis", diz o médico.

Cirurgia plástica integrativa

A ideia é preparar o paciente para a cirurgia, de modo que o pré, o trans e o pós cirúrgicos sejam mais tranquilos e livres de complicações. 

"São utilizadas terapias auxiliares e outras especialidades médicas como a nutrologia, a soroterapia, a hormonioterapia e a suplementação, além do estímulo de hábitos de vida mais saudáveis."

Tempo das cirurgias

"Muitos médicos ainda não se conscientizaram que quanto menos tempo no centro cirúrgico, melhor para o paciente. Por isso, é preciso cuidado com profissionais que incentivam fazer tudo de uma vez só, o tempo máximo recomendado na mesa de cirurgia é de 5h30 a 6h, podendo dividir os procedimentos desejados em um intervalo de 3 a 6 meses", alerta Ícaro.

Pós-operatório ultra-acelerado

"Diversas tecnologias se propõe hoje em dia a acelerar o processo de cicatrização. São alguns exemplos: laserterapia, taping, câmaras hiperbáricas que ajudam na cicatrização, oxigenação e dão longevidade para o resultado. Ozonioterapia, soroterapia, termografia, vitaminas, suplementos, tudo isso também acelera e contribui com o processo de cicatrização."

Foto: Adobe Stock / Montagem Homework

Retração da pele

Cada vez mais, aparelhos tecnológicos auxiliam neste processo, principalmente nos procedimentos no abdômen e nas mamas. São alguns exemplos: Renuvion, Argo, Vaser, Morpheus e Bodytite.

"Estar atualizado permite que os pacientes conheçam alternativas mais modernas e alinhadas com seus objetivos, é quase um investimento na própria saúde e bem-estar. O diálogo aberto e informativo entre médico e paciente é fundamental para estabelecer metas alcançáveis e garantir que a experiência seja bastante positiva", finaliza Ícaro.

(*) HOMEWORK inspira transformação no mundo do trabalho, nos negócios, na sociedade. É criação da Compasso, agência de conteúdo e conexão. 

Adobe Stock / Montagem Homework

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade