PUBLICIDADE

Mulher tem duas vaginas: como ocorre a duplicidade e como reverter?

Australiana diagnosticada com útero didelfo diz usar uma vagina para o marido e outra para a produção de conteúdo adulto

4 abr 2023 - 17h14
Compartilhar
Exibir comentários
Evelyn Miller tem duas vaginas
Evelyn Miller tem duas vaginas
Foto: Reprodução/ SWNS

A história da estrela pornô conhecida também por ter duas vaginas voltou a viralizar. A australiana Evelyn Miller possui útero didelfo, um tipo de má-formação uterina congênita que acomete uma a cada 100 mulheres, segundo o ginecologista Marcelo Cavalcante, especialista em reprodução humana.

"Nessa condição, existem dois hemiúteros e dois colos uterinos, embora, em alguns casos, as duas cavidades uterinas possam se unir em um único colo uterino", descreve o médico.

A explicação é a mesma do ginecologista e obstetra Carlos Moraes, que ressalta não se tratar da formação de duas vaginas completas, mas sim da duplicação da parte superior do órgão. "Ali, bem próximo ao útero, tem um septo que pode formar duas cavidades vaginais", explica o especialista em perinatologia, infertilidade conjugal e ultrassom.

Esse é o caso de Evelyn, que descobriu a condição em 2011 após anos de sofrimento com dores nas relações sexuais e problemas até para usar absorventes. 

Segundo o tablóide inglês "Daily Mail", ela tinha dificuldade de falar sobre a condição com seus parceiros, mas isso mudou com o tempo. Posteriormente, ela trabalhou como acompanhante e hoje diz ganhar 12 mil euros por semana com a produção de vídeos adultos - sozinha ou acompanhada - para plataformas como Pornhub e Onlyfans.

Casada, ela defende que o ato "não parece traição", afinal, usa "uma vagina para o trabalho e outra para brincar" com o marido.

Implicações

Após receber um diagnóstico e entender as características de sua condição, Evelyn diz viver bem com suas duas vaginas. Ela, inclusive, não teve problemas para engravidar - a estrela pornô tem dois filhos.

No entanto, isso não é o padrão. Como a duplicação vaginal dela está ligada a um tipo de má-formação uterina, o mais comum é que a paciente tenha dificuldades reprodutivas. 

“Tem uma história de dificuldade pra engravidar por conta da má formação, história de abortamento ou mesmo partos prematuros, uma possibilidade bem importante. É difícil que uma paciente que tenha esse tipo de má-formação consiga levar a gestação”, pontua Carlos Moraes. Para reverter o quadro, os médicos ressaltam que o caminho é cirúrgico.

É possível ter gestações simultâneas?

Evelyn disse que tomava cuidado para não ter gestações simultâneas, mas isso é raro em casos de duplicidade da cavidade superior da vagina. Como explica o ginecologista Marcelo Cavalcante, mesmo com essa condição, a ovulação ocorre normalmente.

"Apenas um óvulo por mês na grande maioria dos ciclos menstruais", frisa o médico. "Para ocorrer uma gestação simultânea, é preciso que dois óvulos sejam liberados, um de cada ovário, fertilizados e implantados em cada cavidade uterina isolodamente".

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade