PUBLICIDADE

Maiara, dupla com Maraísa, é diagnosticada com alopecia; entenda a condição

Irmã gêmea da cantora sofre com o mesmo problema; conheça os tipos de alopecia e saiba como tratar

25 ago 2023 - 17h39
(atualizado às 17h39)
Compartilhar
Exibir comentários
Maiara, da dupla com Maraísa
Maiara, da dupla com Maraísa
Foto: Reprodução/ Instagram @maiara

Após sua irmã, Maraisa, a cantora Maiara também foi diagnosticada com alopecia. O problema se refere à queda de cabelo ou pelos de qualquer parte do corpo.

A artista já está em tratamento — ela trouxe o assunto à tona enquanto é acompanhada pelo médico Domingos Sávio Coelho, especialista em tricologia e restauração capilar, e por Eliana Martins, criadora da técnica de alongamento microembarrachado.

"Não adianta só ter um cabelo bonito por fora, ele tem que estar saudável por dentro também", disse Maiara, segundo a “Quem”. Com os profissionais cuidando de seu cabelo de forma integral — "desde a escolha do mega, a troca, até o método da microemborrachada" —, ela fez um alerta sobre a condição. "Cuidar do cabelo é cuidar da autoestima", defende. 

Maiara faz tratamento para alopecia
Maiara faz tratamento para alopecia
Foto: Divulgação

Entenda a doença

A alopecia pode ser consequência de questões genéticas, traumas, estresse ou mesmo uma manifestação autoimune. Trata-se de um problema que se desenvolve de diferentes formas:

  • alopecia areata: é a queda de cabelo total ou parcial, geralmente em falhas circulares.
  • alopecia por tração: é decorrente do excesso de penteados que forçam a raiz do cabelo;
  • alopecia frontal fibrosante: costuma atingir mulheres que já passaram pela menopausa e é caracterizada por um recuo da linha do cabelo, além da perda de pelos nas axilas e sobrancelhas;
  • eflúvio telógeno: gera perda de 300 a 500 fios por dia em decorrência de algum evento, condição médica ou deficiência de vitaminas.

Qual o tratamento para alopecia?

Como explica a médica tricologista e cirurgiã plástica Patrícia Marques, isso depende do tipo de alopecia do paciente. Muitas vezes é necessário realizar infusões de medicamentos na região acometida.

"O tratamento varia de acordo com o diagnóstico e compõe uma vasta gama de opções com medicamentos orais, suplementos nutricionais, injeções locais, laser, led e microagulhamento", esclareceu em entrevista anterior ao Terra.

Um ponto importante é que nem todo tipo de alopecia tem cura. A maioria dos casos são controlados, com tratamento que visam diminuir a progressão.

Transplante de coração que Faustão fez custa R$ 37 mil para o SUS Transplante de coração que Faustão fez custa R$ 37 mil para o SUS

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade