PUBLICIDADE

Novo método de cultivo usa 99% menos água do que agricultura tradicional

Técnica ‘floating’ utiliza menos recursos naturais e foi introduzida em escala industrial no Brasil por empresa de saladas prontas

1 fev 2024 - 04h00
Compartilhar
Exibir comentários
Novo método de cultivo usa 99% menos água do que agricultura tradicional:

A agricultura é responsável por 70% da exploração global de água doce, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Por isso, novos métodos de cultivo estão sendo desenvolvidos para produzir mais comida com menos recursos hídricos e, consequentemente, com menos impacto ambiental, como é o caso da hidroponia.

A Verdureira, empresa que produz e comercializa saladas prontas, introduziu a hidroponia como forma de cultivo de suas hortaliças. Ari Rocha, sócio e CEO, explica como funciona a técnica: “É cultivar qualquer vegetal sem utilizar o solo, oferecendo, por meio de uma solução líquida, todos os nutrientes que a planta precisa”. Assista acima a entrevista em vídeo.

O executivo explica que, no Brasil, existem duas principais variantes do método: 

  • NFT (Nutrient Film Technique, ou Técnica de Fluxo Laminar Nutritivo, em tradução livre): a solução nutritiva passa por dentro de perfis onde as mudas são colocadas. Esses filetes de nutrição atravessam e alimentam as raízes das plantas, que se desenvolvem até serem colhidas;
  • DWC (Deep Water Culture, ou Cultura em Água Profunda, em tradução livre): também conhecida como ‘floating’, essa técnica conta com grandes piscinas preenchidas pela solução e as plantas boiam em placas furadas sobre a superfície. É como se as mudas estivessem plantadas nas piscinas.

A empresa utiliza as duas técnicas e foi a primeira a aplicar o ‘floating’ em escala industrial no Brasil: “Quando começamos, até então, nenhuma outra empresa utilizava esse método de produção”. Para conseguir realizar a operação, foi preciso desenvolver do zero todos os maquinários e outros aparatos tecnológicos necessários.

O ‘floating’ utiliza menos investimentos e menos recursos (nutrição, adubo e água) do que o NFT. “Como o ambiente criado fica mais próximo do que seria o solo, existem hortaliças que se desenvolvem melhor e crescem mais”, explica Ari.

Estudos estimam que esse tipo de produção consuma apenas 1% de água utilizada nas plantações convencionais e produza de quatro a cinco vezes mais.

”A irrigação na agricultura tradicional é feita por aspersão, que joga água sobre as plantas e grande parte se perde. No caso da hidroponia, a solução não vai para fora. Nas piscinas, a gente só gasta com o que a planta efetivamente consome”, diz o CEO, explicando que, dessa forma, o uso da água é muito mais eficiente.

Outro ponto importante é que a nutrição pode ser sempre reaproveitada e, além disso, a produtividade chega a ser 12,5 vezes maior. “No solo, sempre é preciso preparar o ambiente para plantar uma nova safra. Na hidroponia, você tira uma placa, colhe, pega outra e coloca no lugar. Conseguimos ter muito mais colheitas”, conta. 

Para entender melhor como funciona esse sistema, dê o play no vídeo inicial.

Fonte: Redação Planeta
Compartilhar
Publicidade
Publicidade